Barely Different (pouco diferente) foi o nome que a fotógrafa estadunidense Anna Larson deu a um ensaio que realizou com suas duas filhas, uma biológica e outra adotada na Etiópia, há cinco anos. Na série de fotos, ela mostra todo o amor que existe entre as duas garotas.

Em entrevista ao site Modern Met, ela conta sobre a experiência que a levou a adotar a pequena Semenesh. “Depois do colégio, eu me voluntariei em um lugar de cuidado de crianças no Haiti e me apaixonei por um dos bebês que estava sob meus cuidados. Depois de deixar o país, soube que ele morreu em razão de uma doença e da baixa imunidade por causa do HIV. Por meio da dor, eu tive a certeza de como eu criaria uma família. Apesar de dois dos meus filhos serem biológicos, eu sou muito grata pelo que a adoção ensinou a essa família”.

A série de fotos começou há dois anos, quando Semenesh tinha três anos e meio e Haven, sua outra filha, tinha um ano e meio. “Elas têm uma conexão maravilhosa, e brincam juntas a todo momento. Elas são as melhores amigas uma da outra. Eu dei o nome de ‘pouco diferente’ ao ensaio porque quero que as pessoas vejam como a cor da pele não tem nada a ver com nossas conexões humanas”, disse.

Sem mais artigos