Pelo menos oito pessoas morreram pelo coronavírus na Arábia Saudita nas últimas 24 horas, aumentando para 102 o número total de mortos desde que o primeiro caso foi diagnosticado no país, em setembro de 2012. Quatro das vítimas tinham apresentado anteriormente sintomas do vírus, enquanto as outras quatro se registraram nas últimas horas, informou neste domingo (27), o Ministério da Saúde.

Pelo menos 16 novos casos de contágio foram descobertos nas últimas 24 horas, o que eleva a 339 o total dos diagnosticados no país árabe, que é o mais afetado pelo vírus no mundo. Dos novos contágios, dois foram registrados na capital, Riad, oito na província de Jidá e seis na de Tabuq, dos quais um está em terapia intensiva e cinco em situação estável. 

Os coronavírus constituem uma família viral que pode causar doenças nos seres humanos que vão desde o resfriado comum até a Síndrome Respiratória Aguda Severa, conhecida como Sars. Os novos infectados pelo coronavírus são das nacionalidades saudita, síria, egípcia e filipina.

Na segunda-feira (28), o rei da Arábia Saudita, Abdullah bin Abdul Aziz, destituiu o ministro da Saúde do reino, Abdullah al Rabiah, após críticas ao combate do coronavírus e nomeou em seu lugar o ministro do Trabalho, Adel Faqih.

 

Sem mais artigos