Os tradicionais ônibus vermelhos de Londres, que se destacam pelos dois andares e pela porta traseira aberta, voltaram a circular pelas ruas da capital britânica nesta segunda-feira (27) com uma versão mais aerodinâmica e ecológica.

Coincidindo com o ano dos Jogos Olímpicos e do Jubileu de Diamantes da rainha Elizabeth II, Londres recupera um de seus principais símbolos, assim como os espaçosos táxis pretos, as cabines telefônicas, o Big Ben e os “bobbys”, como são chamados os policiais da capital britânica.

Desde dezembro de 2005, quando foram retirados de circulação por problemas de segurança e acessibilidade, os clássicos “Routemasters” só eram encontrados no centro de Londres, onde funcionava apenas como uma espécie de atração turística.

No entanto, após a apresentação oficial no final do último ano, oito novos ônibus começaram a circular nesta segunda-feira pela rota 38, a mesma que une o bairro de Hackney, no leste de Londres, com a estação de trem de Victoria. Apesar das transformações em seu desenho, o ônibus manteve suas clássicas características.

 

De acordo com o prefeito de Londres, Boris Johnson, o retorno dos clássicos ônibus sintetiza a simbiose entre modernidade e nostalgia, uma das principais características da capital britânica.

O novo desenho, criado pela empresa norte-irlandesa Wrightbus, mistura os elementos tradicionais de seus antecessores – a cor vermelha, os dois andares e a porta traseira aberta – com novas tecnologias, que se preocupa em assegurar baixos níveis de poluição e consumo energético.

“Sua principal vantagem é a eficiência energética e seus baixos níveis de emissões de poluentes. Além disso, o novo ônibus agrada muito as pessoas, incluindo as crianças”, assegurou à “Agência Efe“, David Hampson-Ghani, diretor de projetos da empresa Transporte de Londres.

Apesar de continuar sendo vermelho por fora, o novo ônibus pode ser considerado verde por dentro, já que sua tecnologia apresenta um motor híbrido, um sistema de freio que recicla 90% da energia empregada e alguns materiais utilizados nos carros de Fórmula 1.

Além da porta traseira, os novos modelos dispõem de outras duas entradas na parte dianteira e central do veículo, assim como duas escadas em cada extremo para agilizar o acesso das pessoas e reduzir o tempo das paradas.

Apesar dos possíveis riscos, os londrinos poderão resgatar o costume de subir e descer do veículo sem esperar sua parada. Para reduzir os atropelamentos, que antes eram quase que comuns, o novo projeto apresenta uma grande janela na parte de atrás do ônibus para que os usuários possam observar o trânsito antes de descer.

A partir daqui, “cada um será responsável por sua vida”, diz Hampson-Ghani, que observa como “pura coincidência” o fato deste atrativo turístico de Londres ser recuperado somente nas vésperas do Jubileu da rainha e dos Jogos Olímpicos.

Novo ônibus de 2 andares começa a circular pelas ruas de Londres

Sem mais artigos