Parte da cultura paulistana e brasileira, os botecos serão obrigados a ficar de fora da Virada Cultural, evento de 24 horas que recheia o centro de São Paulo nos dias 16 e 17 com apresentações de música, teatro e outras artes. Por ordem da prefeitura, os bares terão que fechar suas portas à 1:00, bem no meio do evento, e nenhum outro estabelecimento poderá vender bebida alcoólica depois desse horário.

O prefeito da cidade, Gilberto Kassab, está mandando ver em seu papel de esposa, impedindo que o povo, marido submisso, beba durante a festa. Ele já cumpriu seu papel de esposa Maria-Gasolina, aumentando os preços do transporte público a astronômicos 3 reais, a maior tarifa do país.

Agora que ele já f*deu com a população, é bom que esteja lá no prédio fascista da prefeitura para dar um beijinho em cada paulistano que passe pelo Viaduto do Chá nos dias 16 e 17. Ou corre o risco de um grande pedido de impeachment, ou melhor, de divórcio!

Agora fica a dúvida, ele vai aliviar o lado do comércio informal durante o evento, que obviamente vai inflacionar o preço da cerveja, do vinho e da catuaba, os campeões de venda? Ou ele vai dar uma de esposa zelosa mais uma vez e sentar o rolo de macarronada na cabeça dos ambulantes que estarão acabando com a sede do povo?

Prefeito-esposa de São Paulo fecha bares durante a Virada Cultural

Sem mais artigos
Sair da versão mobile