Pesquisadores das universidades japonesas de Waseda, em Tóquio, e Hokkaido, no norte do país, desenvolveram um chip capaz de detectar o vírus da gripe com uma precisão até 10 mil vezes maior do que os métodos convencionais.

Um sensor, acoplado ao chip, permite que os usuários descubram em 10 minutos a presença de vírus causadores da gripe a partir de uma amostra de mucosa, segundo informou nesta quinta-feira (20) o jornal econômico “Nikkei“.

Esta tecnologia, que modifica sua voltagem ao entrar em contato com os vírus, também é capaz de individualizar até 15 tipos diferentes da gripe com uma amostra de 0,025 mililitros de líquido nasal (aproximadamente a quantidade de uma gota).

A equipe de cientistas, liderada pelo professor Tetsuya Osaka, da universidade de Waseda, considera que esta tecnologia ajudará a reduzir sensivelmente o tempo de diagnóstico da doença e, portanto, a possibilidade de propagação.

Os pesquisadores esperam poder comercializar estes sensores tanto para centros médicos como para toda a população daqui a no mínimo três anos e no máximo cinco, e calculam que cada unidade poderia custar 50 ienes (R$ 1,13).

Para isso que isso aconteça, planejam poder fabricá-lo em massa graças a uma parceria com empresas que produzem materiais médicos.

Tradicionalmente, os médicos diagnosticam a gripe por meio de uma consulta na qual avaliam a presença de sintomas como febre alta, congestão nasal, dores de cabeça e cansaço físico.

Além disso, em alguns casos concretos, também são pedidos exames de sangue e da faringe para confirmar o diagnóstico.

Universidades japonesas criam chip capaz de diagnosticar gripe

Sem mais artigos