William Hope nasceu em 1863 em Crewe, na Inglaterra, e começou sua vida profissional como carpinteiro. No entanto, a madeira nunca o deixou rico e, em 1905, ele mudou de ramo para se tornar o maior fotógrafo de espíritos do mundo. Na realidade, Hope usava uma técnica simples de dupla exposição para sobrepor imagens e criar a ilusão de que havia fantasmas na foto. 

Isso não impediu que ele se tornasse famoso e ganhasse admiradores ilustres, como o escritor Arthur Conan Doyle, criador de Sherlock Holmes. O negócio de Hope explodiu após a primeira guerra mundial, quando o gigantesco número de mortes fez com que muitos procurassem uma foto ao lado de um parente perdido. 

Em 1922, um investigador do sobrenatural chamado Harry Price desmascarou o fotógrafo e explicou como ele fazia as imagens. A revelação não abalou a fama de Hope e ele continou a trabalhar com o ocultismo de mentirinha até sua morte, em 1933.

As fotografias do álbum foram encontrados por um curador do National Media Museum de Londres em um álbum num mercado de pulgas, na Inglaterra.

Sem mais artigos