E lá vem mais um apolêmica do mundo da moda e da beleza. A bola da vez é a campanha do perfume “Just Cavalli”, da grife italiana Cavalli, que não agradou em nada aos fiéis do Sufismo, corrente religiosa islâmica. Estrelando Georgia May Jagger (sim, filha do vocalista dos Rolling Stones) e o modelo brasileiro Marlon Teixeira seminus com um símbolo um símbolo desenhado em seus corpos. A questão é que esse desenho é sagrado para os sufistas e que significa paz e refúgio que significa paz e refúgio.

Divulgada no meio do ano passado, a publicidade gerou manifestações em Londres, Alemanha e Los Angeles, nas quais os fiéis islâmicos pedem para a imagem do símbolo, que significa paz e refúgio, ser retirada das fotos e do vídeo. Para a comunidade, formada por cerca de 500 mil fiéis no mundo todo, é “degradante a marca usar um símbolo que significa tanto para nós para ter lucros. É desrespeitoso e ofensivo”, declarou um porta-voz.

Não é de agora

O estilista Roberto Cavalli usa a imagem em suas campanhas desde 2011 e alega que ela representa “a mordida de uma cobra” e “sinal de sedução”. “Estamos profundamente tristes de causar este estresse à comunidade sufista e esperamos que uma decisão da justiça seja tomada logo”, disse a grife.

Um vídeo dos fiéis pedindo a retirada das imagens já teve mais de 12 mil visualizações no YouTube, no qual questionam: “quanto tempo vamos esperar para que seja feita alguma coisa contra as injustiças do mundo? Quanto teremos que tolerar o ataque de Cavalli à nossa fé?”.

 

Sem mais artigos