Em 1950 a estilista Coco Chanel criou o cap toe que consistia em uma sapatilha bege com a ponta preta com objetivo dar efeito de pernas mais longas e de pés menores para as vaidosas mulheres da época. De lá para cá, o modelito ganhou novas versões e estilos e foi reinventado muitas outras vezes por outros designers como Salvatore Ferragamo, Yves Saint Laurent e Christian Louboutin – este último deu uma modernizada geral na cara do sapato incluindo metal, taxas e até espinhos nas pontas.

Hoje em dia o efeito de alongar as pernocas já não é o principal e a definição de cap toe é qualquer estilo de sapato (sapatilha, scarpin, botas e etc…) que tenha a ponteira com cores, texturas ou materiais diferentes que contrastem no modelito.

Passados tantos anos desde que a Coco Chanel criou o cap toe, o sapato está de volta com força total e reconquistou as mulheres, incluindo, obviamente, as famosas que vivem dando pinta em eventos com os mais variados modelos.


Sem mais artigos