As norte-americanas estão mais ousadas. Foi o que Amir Slam, diretor de criação da Rosa Chá, constatou desde que passou a exportar seus biquinis para a terra do tio Sam, nos idos dos anos 1990.

Se antes era preciso adaptar suas criações e acrescentar mais pano, para agradar ao gosto mais conservador das norte-americanas, hoje ele afirma que os biquínis minúsculos, comunmente vistos nas praias cariocas, são os novos “queridinhos da América”.

Em entrevista à imprensa internacional, Slama diz: “Quando começamos a vender no exterior, tivemos que criar formatos diferentes, um para a Europa e outro para os Estados Unidos, sendo o americano o maior. Mas hoje, nos grandes centros como Los Angeles, Nova York ou Miami, a predominância já é do tamanho brasileiro”.

A Rosa Chá, famosa em termos de moda praia, exporta cerca de 18 mil biquínis aos EUA por ano, de uma linha de produção total de 500 mil.

Amir Slama acredita que o mercado só tende a crescer. Esse é um dos motivos pelo qual deixou de apresentar suas coleções por aqui e tem se concentrado em promover suas criações na Semana de Moda de Nova York, todos os anos.

Ele ainda sinaliza o fato de o Brasil ser mundialmente conhecido por sua moda praia. “Gisele Bündchen teve participação importante na promoção do estilo brasileiro nos Estados Unidos, bem como Carmen Miranda na década de 1940″, completa.

Foto: desfile da Rosa Chá verão 2008 na Semana de Moda de NY.

Norte-americanas querem biquini menor

Sem mais artigos