Uma oficina de costura em Prato, na Itália, que abrigava funcionários ilegais vindos da China, pegou fogo matando sete operários que trabalhavam num sistema de escravidão.

Outras seis pessoas se encontram em estado grave. O mais absurdo é que o motivo de tanta tragédia é que todos os trabalhadores estavam trancados no local com grades de ferro nas janelas e por isso não conseguiram sair a tempo.

Enrico Rossi, presidente da região a Toscana, mostrou-se indignado com a tragédia.”Sobre a exploração desses sete trabalhadores que foram mortos, a exploração brutal por um euro por hora. Temos que mudar essa realidade para a legalidade”, disse em entrevista para o jornal Il Messaggero.

Ainda não foi divulgado quais marcas utilizavam a mão de obra dessas pessoas, o que se sabe é que se trata das famosas etiquetas “made in Italy”.

Em abril, um prédio de três andares onde funcionava uma fábrica de tecidos desabou na cidade de Bangladesh, matando 470 operários que trabalhavam de forma ilegal.

 

 

Sem mais artigos