No verão, período em que a proliferação de bactérias é maior, doenças que comprometem a saúde íntima da mulher são mais comuns: infecções e doenças ginecológicas que ocorrem em períodos de alta temperatura.

O uso de roupas de banho úmidas e o suor são fatores que geram bactérias, fungos e protozoários. Dentre as doenças ginecológicas que surgem no verão, destacam- se as vulvovaginites, principalmente a candidíase, além das vulvovaginites virais, em especial as por herpes. Cada uma delas tem um tratamento específico e medidas gerais de apoio, como, por exemplo, alcalinizar a região genital, no caso de candidíase.

Segundo Reginaldo Guedes, diretor do Serviço de Ginecologia do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), escolher o tipo correto de vestuário é fundamental para evitar possíveis infecções. “As roupas devem ser folgadas, de preferência de algodão. Também é aconselhável não usar peças de tecidos sintéticos. Outro cuidado importante é a hidratação oral, com ingestão de pelo menos 2 litros de água por dia, além do uso de preservativos nas relações sexuais”, ressalta.

O médico destaca que o consumo de antibióticos e corticóides (tipos de medicamentos) deve ser cauteloso, por conta de efeitos secundários que podem afetar a flora normal da vagina e selecionar bactérias resistentes e fungos, favorecendo infecções.

Confira algumas dicas de como prevenir doenças ginecológicas no verão:

– Dê preferência a cadeiras de praia em vez de cangas e toalhas;
– Não fique mais de três horas com roupas de banho úmidas ou molhadas;
– Não compartilhe sabonetes, peças íntimas ou toalhas;
– Use roupas mais leves e evite calça jeans justa;
– Use sabonete neutro ou sabonete higiênico íntimo indicado pelo seu ginecologista;
– Não use absorventes de uso diário;
– Lave roupas íntimas com água e sabão e seque-as ao sol.

Sem mais artigos