O debate sobre os tamanhos de roupa feminina voltou a fazer barulho nos Estados Unidos com a decisão da popular rede J Crew de colocar à venda o XXXP.

Defensora da magreza extrema, resposta às necessidades de alguns clientes ou uma tentativa de fazer acreditar que as mulheres usam um tamanho menor do que o real? As opiniões são muitas.

De acordo com a marca, o novo tamanho responde simplesmente à demanda de suas clientes asiáticas, que precisam de modelos menores dos que normalmente são oferecidos pela empresa. De fato, a nova medida deve ser oferecida apenas na loja online e na Ásia, afirma a marca, que lembra que também vende tamanhos grandes e para pessoas altas.

O XXXP está pensado para mulheres com cintura de 58,4 centímetros, menor que a média das americanas, que é de 86,3 centímetros, conforme explica o jornal “Daily News”. Para os críticos, trata-se de uma medida extremamente pequena, própria de uma menina.

“Vivemos em um país que promove a anorexia e que as mulheres tenham vergonha dos seus corpos”, afirmava esta semana um cliente da rede ao “Daily News”.

Para outros, no entanto, a decisão permitirá às mulheres menores comprarem roupas desenhadas para pessoas de sua idade e evitarão a seção infantil. Segundo o “Daily News”, o XXXP é o tamanho apropriado para celebridades conhecidas por sua magreza como a cantora Victoria Beckham ou a atriz Keira Knightley.

As maiores críticas, no entanto, chegam pelo chamado “vanity sizing”, algo como “dimensionamento da vaidade”, duramente desaprovado por populares sites sobre moda como Racked National e Capitol Hill Style. Segundo estes meios especializados, cada vez mais marcas de roupa nos Estados Unidos buscam atrair seus clientes diminuindo o tamanho das roupas e fazendo com que sirvam para as clientes, a priori, tamanhos menores dos que deveriam utilizar.

“O ‘vanity sizing’ da J Crew alcançou um novo nível de loucura”, opinou Racked sobre o novo XXXP.

Segundo especialistas do setor, nos últimos anos, as empresas deixaram de usar os padrões habituais até agora e aumentaram progressivamente o leque de tamanhos de suas roupas.

“Os tamanhos foram crescendo de 1,27 cm em 1,27 cm para que as mulheres pudessem usar tamanhos menores e se sentisse bem”, explicava a revista “Newsweek” Jim Lovejoy, diretor da pesquisa SizeUSA.

Sem mais artigos