Após a estreia do controverso clipe de “Montero (Call Me by Your Name)”, Lil Nas X se uniu a um coletivo artístico de Nova York para lançar um tênis com referências satânicas, que contém até mesmo gotas reais de sangue humano. O “Tênis do Satã”, como foi apelidado, causou discussões, no entanto, esgotou em menos de um minuto.

A informação foi confirmada nesta segunda-feira (29) pela revista Entertainment Weekly.

O calçado, feito em colaboração com o MSCHF, estiliza o modelo Air Max 97s, da Nike. Nele foi implementado um pingente de pentagrama na área do cadarço, a sola de cada unidade conta com uma gota de sangue humano, doado por membros do coletivo, misturado com tinta vermelha e a inscrição “Luke 10:18” na lateral, uma referência ao verso que menciona a queda de Satã do céu. Foram disponibilizadas 666 unidades do tênis.

Cada par custa US$ 1,018, mais de R$ 5,880. O valor, em dólar, é mais uma referência ao livro de Lucas, capítulo 10 e versículo 18.

Apesar do sucesso entre os fãs, quem não aprovou o lançamento foi a própria Nike. A empresa não tem nenhum envolvimento com as customizações, informou o CEO do MSCHF, Gabe Whaley, em nota à agência AP, e está processando o coletivo por “violação de marca registrada”.

Ao veículo USA Today, a marca afirmou por e-mail que “não tem nenhuma relação com Lil Nas X ou MSCHF. O tênis de Satã foi produzido sem a aprovação ou autorização da Nike e [a empresa] não está conectada, de maneira nenhuma, a esse projeto”.

O rapper brincou com o processo no Twitter ao publicar um vídeo do personagem Lula Molusco, da animação “Bob Esponja”, pedindo por dinheiro na rua.

“Eu após o processo da Nike”, escreveu.

O coletivo MSCHF também está por trás do “Sapato de Jesus”, lançado em Outubro de 2019. A edição limitava trazia o mesmo tênis da Nike, modelo Air Max 97’s, contendo 60 ml de água do Rio Jordão, local visto como sagrado para muitas pessoas religiosas. Segundo a bíblia cristã, foi onde ocorreu o batismo de Jesus.

Sem mais artigos