O agente da ex-rainha do pop mexicano Gloria Trevi, Sergio Andrade, publicou na terça-feira um livro em que defende sua inocência das acusações que sofre no México. Ambos estão presos no Brasil.

O livro “Revelaciones” (revelações, em português), foi apresentado na terça-feira pela editora Grupo Planeta no México, depois de ter reproduzido os textos escritos por Andrade na prisão no Brasil desde julho deste ano.

Depois de um prólogo onde se diz inocente das acusações de violação, rapto e corrupção de menores e nega os supostos vínculos com o narcotráfico e lavagem de dinheiro, “Revelaciones” apresenta poemas e relatos eróticos escritos por Andrade.

O preço da publicação será de cerca de 13,15 dólares e o autor receberá uma comissão de 10 por cento das vendas.

Trevi, popular na década de 1990 com seu estilo rebelde e atuações audaciosas, foi presa junto a Andrade no Rio de Janeiro em janeiro de 2000. A dupla espera um veredito sobre um pedido de extradição do México.

Andrade disse em seu livro que “há partes com maior e menor grau de ficção” e completou: “Nada do que foi exposto, transmitido, comunicado e escrito neste livro pode, ou poderá, ser usado como argumento ou prova” contra ele, Trevi ou contra a corista María Raquenel, também detida no Brasil.

Para o agente de Trevi, é melhor continuar preso no Brasil, pois no México enfrentaria um “juízo ilegal”, com o “perigo de sermos ‘executados’ (…) para evitar que a gente se defenda e fale claramente em nossa defesa…”.

Sem mais artigos