Não adianta, o lugar de Marc Chapman é na cadeia. Pelo menos foi isso que decidiu a comissão de liberdade condicional do Estado de Nova York. Nesta quarta-feira, os representantes da comissão negaram mais um pedido de liberdade feito pelo assassino de John Lennon.

Condenado à prisão perpétua por ter atirado no ex-Beatle em 1980, em Nova York, Chapman tentou o recurso pela terceira vez. Em 2000 e 2002, o pedido também havia sido negado.

A comissão alegou que o criminoso ainda representa um perigo à sociedade, a Yoko Ono, mulher de Lennon, e a ele mesmo: “A negativa se baseia nas intenções extremamente malignas que Chapman demonstrou no momento do crime, quando disparou várias vezes em seu alvo”.

Em 2006, o assassino poderá voltar a requisitar a liberdade condicional.

Sem mais artigos