Com mais de 1,2 milhão de visualizações no YouTube em menos de dez dias, o clipe da música Um Dia a Gente Se Encontra, do Charlie Brown Jr., que está no álbum La Familia 013, teve como diferencial ter sido dirigido pelo filho de Chorão, Alexandre Abrão. E os produtores Tânia Assumpção e Tiago Kiss, da Okent Filmes, em entrevista ao Virgula Música, contaram que até São Pedro resolveu ajudar.

Veja o clipe

“Uma coisa muito bacana é que a semana toda a previsão era de tempo muito ruim. E a gente estava quase desistindo de gravar no terraço. E na hora o tempo colaborou e com certeza foram eles lá em cima que ajudaram a gente nessa produção”, afirmou Tânia.

Sobre o desempenho de Alexandre, ela disse que o rapaz realmente manja e que eles já planejam outro trabalho juntos. “O Alexandre fez cinema, ela já dirige. Foi bem bacana trabalhar com ele. Acho que nada como o próprio filho, ele que sempre acompanhou a banda nos shows, fazendo os vídeos, as fotos, nada como ele para conseguir dirigir toda aquela galera“, contou.

Kiss revelou também que o filho de Chorão fez o papel de receber os amigos do pai. “O que foi legal no Alexandre é que além de fazer o papel de diretor, ele fazia muito bem o papel de amigo do pessoal. Então, ele estava sempre indo dos testes de filmagens para o camarim dos artistas, sempre fazendo social com todo mundo. E ele não ficava nervoso, ele estava sempre calmo, com horários. Então, o pessoal da produção ficava mais nervoso que ele, em termos de achar que não ia dar tempo. E no final ele conseguiu, faltando 20 minutos de sol, ele conseguiu fazer a última cena”, disse.

Os dois produtores lembram que apesar de todo o profissionalismo, as lágrimas foram inevitáveis. “Para mim, o primeiro take foi muito emocionante, ver a galera cantando já, 9h já pulando e com aquela energia toda, então é uma homenagem que eles merecem”, apontou Tânia, fazendo referência a Chorão e Champignon.

“Lógico que lá no set o pessoal tinha momentos em que acabava de derramar aquela lágrima. O Xande conseguiu segurar bem a onda, porque estava tudo na mão dele mesmo, mas no final ele deu aquela choradinha. E acho que todo mundo deu aquela desabafada, aquela energia de mistura de felicidade e emoção”, contou Kiss.

O vídeo, que tem cerca de cem pessoas fazendo figuração e amigos da banda como Marcelo D2, Supla, Japinha, do CPM 22, Egypcio, do Tihuana, e Marcelo Nova, entre outros, teve como maior desafio, para os produtores, conciliar todas as agendas em um único dia de gravação.

“A gente utilizou o mesmo microfone que o Chorão usava nos shows. E eu acho que cada um de nós, todos os amigos, fãs que têm essa voz agora. Era mais fazer uma homenagem e mostrar que agora eles estão dentro de cada um de nós. É a gente que vai seguir com a banda, não deixar a banda acabar”, disse Tânia.

Em relação ao nível dos clipes no Brasil em relação ao padrão dos Estados Unidos, a produtora aponta que se pauta pela busca em “aliar bom gosto e uma ótima direção de fotografia”.

“Como lá fora eles tem muito mais dinheiro, acho que aqui isso força a gente a pensar um pouco mais na fotografia e nas ideias. Porque em termos de produção mesmo, coisas caras, a gente nunca consegue chegar no nível deles. Mas às vezes a gente consegue tirar vantagens de outras questões. Acaba rachando mais a cabeça outras soluções, outras que não necessariamente se resolve com dinheiro”, concluiu Kiss.

 

Sem mais artigos