Como nasce um talento musical? Como é sua formação e de onde vem a inspiração para suas canções? Em Somos Tão Jovens, filme que chega aos cinemas em 3 de maio, Thiago Mendonça (Dois Filhos de Francisco), dá vida ao músico Renato Russo, abordando o período que compreende sua adolescência, a formação da banda Aborto Elétrico e o convite para o primeiro show da Legião Urbana

“Minha relação com a música não passava de um violão desafinado”, conta o ator em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira (23) em São Paulo. Com direção musical de Carlos Trilha, que vetou playbacks durante as gravações do longa-metragem, Thiago aprendeu baixo, guitarra, violão e teve aulas de canto durante três meses. “Esse foi o maior desafio em todo o trabalho. Tive que aprender tudo desde o começo. Mas confesso que fiquei surpreso com o resultado”, afirma. 

“A ideia foi do Carlos, um incrível produtor, que usou técnicas de registrar shows para DVDs. Ele me disse que sua condição para entrar no projeto seria não utilizar gravações durante as cenas. Isso funcionou muito bem. Conseguimos captar a energia dos atores e dos figurante, que ali estavam ouvindo música ao vivo”, explica o diretor Antonio Carlos da Fontoura A Rainha Diaba (1974) e Gatão de Meia Idade (2006). 

Além de Thiago, Somos Tão Jovens também conta com nomes como Laila Zaid, Bruno Torres, Bianca Comparato e Olivia Torres, que interpretam a chamada Turma da Colina, da qual surgiram algumas bandas como Capital Inicial e Paralamas do Sucesso. Para o papel de Dado Villa-Lobos, o escolhido foi Nicolau Villa-Lobos, filho do guitarrista da Legião. “Eu adorei tudo. Descobri coisas sobre o meu pai que nunca imaginei. Não sou músico, muito menos ator, mas sei tocar um pouco. O melhor do projeto foi poder reviver a adolescência do meu pai”, explica Nicolau, que se formou em Cinema. 

Com a chancela da família de Renato, sua mãe dona Carminha e a irmã Carmen Lúcia, o diretor Antonio Carlos da Fontoura teve apoio direto dos músicos Marcelo Bonfá, baterista da Legião Urbana, e Dado Villa-Lobos. “Eles participaram de tudo. Desde o momento de confirmar o que realmente aconteceu, até ajudar em alguns diálogos. Sem eles, nada disso teria sido possível”, explica. “Formamos uma família para poder reproduzir a família que essa rapaziada formou em sua adolescência.”

Para Bonfá, Somos Tão Jovens é um legado para o público que gosta de rock no Brasil e deve apresentar a banda aos adolescentes: “Gostaria que a energia do filme e tudo que nós passamos possa incentivar os garotos de hoje a montar uma banda. Que eles queiram aprender a tocar baixo, guitarra e bateria e possam fazer algo de diferente e viver momentos como o que nós tivemos o prazer de experimentar”.

“Certamente o longa conta com fidelidade o que aconteceu em Brasília naquela época, a cidade tinha menos de 20 anos de idade e absolutamente nada para fazer. Mas a mensagem mais importante é mostrar como você sendo jovem consegue tranformar a sua cidade, a sua vida e tudo o que está ao seu redor. Mais que mostrar a cena do rock em Brasília, a mensagem do filme é a transformação que a juventude é capaz de fazer”, espera Dado Villa-Lobos. 

Veja o trailer de Somos Tão Jovens, que chega aos cinemas em 3 de maio: 

Sem mais artigos