Atração do Lollapalooza Brasil, que se realiza no fim de semana dos dias 05 e 06 de abril, a banda dos Estados Unidos Portugal. The Man está no rol de atrações que podem roubar a cena dos headliners do festival. 

Em entrevista ao Virgula Música, o baixista e backing vocal Zachary Carothers contou que a primeira vez do grupo na América do Sul tem mexido com os rapazes. “Estamos muito ansiosos. De longe é a viagem pela qual mais estamos esperando”, disse, por tefelone, do Chile.

“Mal posso esperar em chegar no Brasil e ver tudo. Vai ser incrível”, afirma o músico, antes de comentar sobre quais são as primeiras coisas que vêm a sua cabeça quando pensa no país. “Garotas bonitas, um grandes público, apesar de ser nossa primeira vez, acho que vamos tocar para uma multidão e, obviamente, a comida, o churrasco brasileiro é demais”, diz.

Zach, como é conhecido, conta que a banda aprecia os tours gastronômicos. “Comida é sempre uma grande coisa para gente, em todo lugar que a gente vai pela primeira vez procuramos comer os pratos tradicionais, de todas as culturas do mundo”, afirma.

Para ele, o fato de a banda ser originária do Alasca tem uma influência no som. “Crescer no Alasca é crescer realmente isolado, não havia algo lá para nos influenciar. Por sorte, nossos parentes tinham discos muito bons. Cresci ouvindo Beatles, Pink Floyd, Led Zeppelin e também um monte de música pop dos anos 80, como Michael Jackson, como todo mundo”, revela.

Entre os artistas atuais, o baixista destaca o hip hop de Kanye West e as bandas Arcade Fire e Savages. Diante da questão sobre se há uma conexão entre Portugal. The Man e outros grupos da cena atual, ele dá sua opinião. “Todo mundo está colaborando um com o outro, nós temos grandes músicos tocando juntos, uma irmandade. Nós gostamos de jams e colaborações, fazemos muito amigos. Eu acho que nos dias de hoje existe um pouco mais de irmandade na cena musical”, defende. 

Já em relação ao repertório do show no Lolla, ele faz mistério. “Não faço ideia do que vamos tocar. vamos decidir cinco minutos antes de subir no  palco. Eu digo a você que será bem divertido, uma grande celebração da música, uma boa vibração”, promete.

A banda do Alasca se apresenta no sábado (05/4), no palco Interlagos, entre 17h e 18h. Além de Portugal. The Man, entre os nomes que podem surpreender no line-up do Lolla estão Capital Cities, Silva, Savages, Apanhador Só, Bloody Beetroots, Digitaria, Apanhador Só, Digitaria, Flume e Francisca Valenzuela.     

A dica, então, para você que vai ao Lolla e procura se surpreender, fique de olho nas letrinhas miúdas.

De Los Angeles, a dupla Capital Cities faz um pop fofinho, sem pretensões

O capixaba Silva, aposta da MPB indie em 2014, vai tocar em festivais pelo mundo 

Abriram as portas dos anos 80 e surgiram as meninas do Savages

Trilegal, trilouco. É o Apanhador Só

Esse é para os recalcados que acham a eletrônica brasileira é atrasada: Digitaria 

O australiano Flume é prova de que o mundo é das crianças. Conformem-se, velhinhos

Já que é festa, melhor chamar um italiano. O mascarado Bob Rifo é The Bloody Beetroots

 O pop chileno tem sua princesa e o nome dela é Francisca Valenzuela

Sem mais artigos