O mundo seria um lugar menos musical sem os deficientes visuais. Com sensibilidade apurada e, não raro, superpoderes que parecem conferir capacidade de enxergar com a alma, nomes como Stevie Wonder, Ray Charles, Amadou & Mariam, Jeff Healey e Art Tatum já nos deram muita luz em forma de sons. 

No Dia Nacional do Cego, data criada por decreto em 1961, pelo então presidente Jânio Quadros, o Virgula Música compilou algumas contribuições de artistas como os já citados, de outros como Andrea Bocelli e de brasileiros como Kátia e o Tribo de Jah, em que apenas o vocalista não é cego.

No tempos do blues primitivos, há quase 100 anos, muitos músicos traziam o bling até no nome. São exemplos: Blind Lemon Jefferson, Blind Boy Fuller, Blind Willie Johnson e Blind Willie McTell. A música era um espaço circunscrito ao deficientes visuais. Hoje, se o preconceito ainda persiste, o que é sempre lamentável, ainda existem músicos cegos, mas também há gente boa com problema de visão exercendo as mais diferentes profissões e com o mesmo feeling.    

Stevie Wonder – I Just Called To Say I Love You

Ray Charles – Hit The Road Jack

Amadou & Mariam – Africa mon Afrique

Art Tatum — Yesterdays

Andrea Bocelli, Nessun dorma – Turandot (Ao vivo no Central Park)

Kátia – Qualquer Jeito (Globo de Ouro, 1987)

Tribo de Jah, Estradas e Trilhas

The Jeff Healey Band – While My Guitar Gently Weeps

Black Snake Moan – Blind Lemon Jefferson

Blind Boy Fuller, Truckin’ My Blues Away

Blind Willie Johnson – Dark was the night

Blind Willie McTell – Statesboro Blues

Sem mais artigos