Fernando de Ouro Preto, nascido em 27/04/64 é um curitibano, americano, austríaco e suíço. Filho de diplomata, apesar de ter nascido no Brasil, foi criado em Washington (EUA), Viena (Áustria) e Genebra (Suíça). Em meio a ditadura e em plena adolescência, o vocalista do Capital Inicial veio morar no Brasil. Nem imaginava que se tornaria o sucesso de hoje.

Ao se formar no colégio, Dinho teve as mesmas dúvidas de qualquer jovem. Decidiu prestar vestibular para Sociologia porque seus colegas do segundo grau cobravam dele uma postura definida em relação à política. Certamente, todos achavam que os roqueiros eram alienados. No entanto, Dinho foi reprovado e desistiu da faculdade. Então, a música virou uma “necessidade vital” para passar o tempo em Brasília, cidade que odiava. Mais tarde, passou a gostar do lugar e não queria mais sair de lá.

Sua primeira banda foi Aborto Elétrico, que depois originou o Capital. Dinho era tão fanático que, não só ia aos shows, como também gravava todos os ensaios da banda em fitas cassete. Quando começou a tocar no Capital, aos 19 anos, em maio de 1983, seus pais estavam no exterior e achavam que ele só estudava. Só souberam que ele tinha se tornado músico quando já estava fazendo sucesso com a banda.

Após dez anos no Capital Inicial, Dinho deixou a banda e gravou dois CDs: um com o “Vertigo” (1994) e o solo “Dinho Ouro Preto” (1995); os dois, pela Rock It! (de Dado Villa-Lobos). Hoje, como todo mundo sabe, ele está no Capital. Para consolidar a nova fase da banda, gravaram o “Acústico MTV” (2000), venderam 1 milhão de cópias, levaram seis músicas e fizeram mais de 300 shows pra alcançar o patamar.

Depois do acústico, o Capital já lançou mais 2 álbuns e não pararam mais. Parabéns para Dinho Ouro Preto, o músico, roqueiro, frenético e brasileiro!

Sem mais artigos