James Kottak, baterista da banda alemã The Scorpions, está nesta quarta-feira (30) em Dubai aguardando uma iminente deportação após ser condenado ontem a um mês de prisão por insultar os muçulmanos e fazer gestos indecentes.

O músico americano tem um prazo de 15 dias para recorrer da sentença ditada pelo Tribunal de Faltas do país, que o considerou culpado também de estar embriagado e de abaixar as calças no aeroporto de Dubai, segundo informa o diário “Gulf News”.

As acusações a Kottak foram feitas no dia 3 de abril no aeroporto internacional da cidade.

Desde então, o músico está sob custódia policial em Dubai, e seu passaporte foi confiscado pelas autoridades.

Kottak afirmou em sua declaração, publicada por vários veículos de imprensa locais, que havia bebido cinco taças de vinho a bordo de um voo entre Moscou e Bahrein com escala em Dubai.

O impasse o impediu de chegar ao Bahrein, onde daria um show, e que seu grupo fosse obrigado a substituí-lo sobre o palco por Mark Cross.

Durante o julgamento, dois membros da equipe de terra do aeroporto da zona de trânsito declararam que ouviram Kottak gritar que não viajaria com um grupo de passageiros paquistaneses e afegãos.

Além disso, várias testemunhas afirmaram que o acusado tampou o nariz em gesto de repulsa e que o ouviram criticar a companhia aérea Flydubai, os muçulmanos e o aeroporto.

Kottak, por sua vez, admitiu ter bebido álcool, mas negou as outras acusações.

Seu advogado baseou a defesa em que o baterista estava tentando mostrar uma tatuagem em sua costas às pessoas que estavam no aeroporto no momento. Também ressaltou as contradições em que as testemunhas de acusação caíram. 

Sem mais artigos