12819347_487486041446163_8517486254293536795_o

(Foto: Rodrigo Gianesi)

A cena brasileira de música instrumental é resistente, e frutífera. Caminhando no mercado independente, ela segue batalhadora e sempre apresentando novas bandas com qualidades inquestionáveis, como é o caso da nova sensação do gênero: o quarteto paulistano E a Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante, que vem chamando a atenção por onde passa.

“Ficamos muito surpresos quando recebemos encomendas de discos de cidades distantes da nossa, ou quando vemos algum vídeo de alguém tocando uma música nossa. Apesar de sermos uma banda instrumental, nós não nos enxergamos como uma, sabe? Nós circulamos entre tantas outras bandas de gêneros tão diferentes que não ter uma pessoa cantando nunca foi um fator de exclusão. Acho que essa falta de consciência fez com que não ficássemos presos a nichos”, diz o guitarrista Lucas Theodoro sobre reconhecimento e conseguir transitar entre outros estilos.

Enquanto o álbum completo não chega – o lançamento está previsto para 2017 – o grupo segue divulgando o EP Vazio, de 2014, e o sete polegadas Medo de Morrer | Medo de Tentar, com músicas cheias de referências punk, jazz, eletrônica e pós-rock. “O E a Terra… é uma banda instrumental com base no rock. Mas, cada integrante tem a sua própria história de percepção e descoberta na música, e isso gera uma troca incrível entre nós. Tudo isso acaba virando uma influência no jeito com que concebemos nossas músicas.”, conta o músico.

e.a.terra_

(Foto: Cae Oliveira)

Sobre fazer parte da nada-fácil cena de música instrumental, Lucas é realista e sabe muito bem onde pisa: “O mercado em geral não é tão forte, né? Conhecemos muitas pessoas extremamente talentosas que têm dificuldade de se manter fazendo música e que ralam todo dia para conseguir tirar algum sustento disso. A cena instrumental sempre teve nomes incríveis e fortes, como Hurtmold, Elma e ruído/mm, e a cada dia que passa mais nomes aparecem”.

Para quem quiser conferir ao vivo o arsenal sonoro de E a Terra, o grupo se apresenta nesta terça, 9, no Sesc Pompeia, em São Paulo. “Animados e ansiosos são palavras que não definem o suficiente. É um palco muito importante na nossa formação. O Sesc proporcionou uma série de shows que estão na nossa memória e essência até hoje. Nosso show será uma celebração desses 3 anos de banda e de tudo que temos conquistado ao longo do tempo. Será uma forma de apresentar o melhor ao vivo que já tivemos para as pessoas que nunca nos viram”, adianta o guitarrista.

E tem uma surpresa que Lucas nos conta: “Além do vinil do nosso trabalho mais recente, Medo de Morrer | Medo de Tentar, teremos a reedição do nosso primeiro trabalho em fita-cassete. Uma edição limitada que preparamos com carinho só para essa data.”.

O convite está mais do que feito.

13735709_564854163709350_375873667766099624_o

(Foto: Marcos Bacon)

SERVIÇO

E a Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante no Sesc Pompeia
Terça, 9 de agosto, às 21h
Rua Clélia, 93, Pompeia
Entrada gratuita — ingressos distribuídos no local, na hora do evento
Censura — 18 anos
800 lugares
11 3871-7700

Para ouvir o trabalho do grupo: eaterranuncamepareceutaodistante.bandcamp.com

Sem mais artigos