Grupo Vou Pro Sereno fala sobre carreira em live com o Vírgula

O grupo Vou Pro Sereno, ou o popular VPS, que participará de uma live com o Vírgula nesta quarta (anote para não esquecer), conversou exclusivamente com a gente para falar sobre o atual momento da carreira, da vida profissional durante a pandemia e sobre o caminho árduo que trilharam até serem reconhecidos nacionalmente.

“Quem acha que a gente vem de agora ainda não conhece nossa história”, diz Júlio César (pandeiro e voz). Pois é, pessoal, o grupo já está na estrada há mais de 20 anos, encantando rodas de samba pelo Rio de Janeiro e, agora, pelo Brasil afora.

“Tudo tem um tempo certo. Um tempo de Deus. Em 20 anos, já passamos por tanta coisa. O tempo nos trouxe experiência e nos ajudou a saber como lidar com situações mais embaraçosas do dia a dia da carreira”, contou Júlio.

O sucesso nacional cresceu muito em 2019, mas o estouro mesmo veio com o DVD Jogando em Casa, projeto que contou com participações especiais de grandes nomes da música, como Ludmilla, Thiaguinho, Belo, Mumuzinho, Tony Salles e Netinho de Paula.

Alguns até chegam a estranhar o nome de Ludmilla, estrela do pop nacional, presente no trabalho do VPS, mas Alex Sereno (tantã e voz) explica o DNA do grupo. “A gente sempre foi muito de misturar. Tocávamos na noite e então tínhamos um som diversificado. Música é mistura”.

Com o enorme sucesso de Jogando em Casa, o Vou Pro Sereno alcançou a incrível marca de 1,2 milhão de ouvintes mensais no Spotify. O cenário é de uma crescente ainda maior com as músicas que não saem da boca dos fãs nas redes sociais.

“Eu gostaria de agradecer imensamente a todos os nossos fãs por curtir o nosso trabalho nas redes sociais. Temos uma canal no YouTube que cresce a cada dia e seguidores maravilhosos que sempre nos fazem querer deixá-los cada vez mais felizes”, explicou Júlio.

O DVD Jogando em Casa foi lançado em quatro partes pelo grupo. A primeira delas, com seis faixas, saiu em março. A última delas, que teve a participação de Lud, chegou às plataformas digitais em 19 de junho.

Pandemia e o sucesso nas redes sociais

Grupo Vou Pro Sereno fala sobre carreira em live com o Vírgula

O VPS não passou ileso à pandemia causada pela disseminação do novo coronavírus. “Afetou bastante a gente também. Estávamos com vários shows marcados, mas esse período (de isolamento social) freou tudo”, disse Alex.

O grupo já é bastante acostumado com as rede sociais, algo que contribuiu para que eles não desanimassem e continuassem com a crescente no cenário do samba.

“Nós somos a prova viva de que a internet os permitiu sermos recohecidos nacionalmente, principalmente quando colocamos nosso trabalho no YouTube”, explicou Júlio. Atualmente, o canal do Vou Pro Sereno tem mais de 630 mil inscritos na plataforma.

As fontes que inspiraram o grupo

Júlio César e Alex são uníssonos ao falar de onde veio a inspiração do VPS. “Somos samba de raíz, né! Então nossa referência vem dos grandes nomes do samba: Lecy Brandão, Beth Carvalho, Cartola, Fundo de Quintal. Poderia fazer uma lista enorme aqui”, afirmou Alex.

Outra fonte do grupo veio de um fenômeno muito conhecido por todos os brasileiros e que lança músicos e artistas para o país ano após ano. “O Carnaval também nos influenciou muito. Meu início foi na Mocidade (Independente de Padre Miguel), desde criança. Fui dali para a música profissional. No final dos shows, o samba-enredo está presente no nosso repertório”, explicou Júlio.

Se os grandes nomes do samba inspiraram o Vou Pro Sereno, os integrantes do grupo também podem ser uma grande fonte de inspiração para os momentos difíceis, principalmente nas palavras.

“As pessoas estão pensando muito no eu. Quando quiserem pensar em ajudar o próximo, aí as coisas começam a mudar. O ego precisa se desfazer. Olhar pro próximo é compartilhar cada vez mais os ensinamento de Deus para vivermos melhor”, completou Alex. O que mais a gente pode dizer depois disso…

Sem mais artigos