Catha fala sobre carreira, projetos e inspirações em exclusiva ao Virgula

Menina de voz encantadora, suave e meiga. Mulher com “M” com o microfone nas mãos. Em pouco tempo ela dispensará apresentações, e nós, aqui do Virgula, teremos sido um dos primeiros a ter entrevistado um novo expoente do pop nacional: Catha!

A jovem de 19 anos abriu o coração em uma entrevista exclusiva, falando sobre como é ter ficado famosa em tão pouco tempo de estrada e com “apenas” um EP lançado na carreira até o momento.

Mas é melhor parar com esse papo de “fenômeno”… A humildade de Catha não permite que ela se enxergue desta maneira. “Eu não me considero um fênomeno do pop. É estranho tratar assim. Comecei a minha carreira recentemente, as coisas estão crescendo aos poucos, então no futuro, talvez, consiga me ver como um fenômeno do pop”.

“Hoje em dia me sinto grata mesmo por as pessoas estarem escutando a minha música e realmente gostando do material que estou fazendo e da arte que estou produzindo”. Por falar em arte, a área está no sangue de Catha desde muito cedo. “Eu sempre fui ligada às artes. Sempre sonhei em fazer algo com as artes, principalmente musicais, no começo”, conta a cantora.

Mas artista mesmo, na acepção da palavra, ela escolhe um momento para lembrar como se viu assim pela primeira vez. “Quando pisei no estúdio para gravar o meu EP. Quando fui no estúdio a primeira vez e conheci os músicos, me vi: ‘nossa, esse é o meu trabalho agora'”.

Catha lançou mais recentemente o seu novo single, “Drama Queen”, finalizando a trilogia do seu primeiro EP da carreira. Ela já passa dos centenas de milhares de ouvintes mensais nos streamings de música.

Catha teve importante ajuda em “Drama Queen”. A música foi produzida e mixada por Filipe Soares, nomeado quatro vezes ao Grammy Latino por projetos com grandes artistas, entre eles, Anitta. “O Filipe me ajudou muito nesse início. Por ser nova com todo esse lado musical, estou aprendendo com todos”.

Inspirações e influências musicais

“Anitta é diva. Fico deslumbrada com o talento que ela tem, começando agora uma carreira internacional. Ela é uma mulher super empoderada, espelho para nós que estamos começando”.

Claro que não poderia faltar falar da Poderosa. Mas Catha não para por aí na linha das inspirações. “Em casa, com meus pais, eu sempre tive um background musical bem eclético. Porque eu cresci escutando ópera com meu pai, Queen e também sertanejo. Esse lado da ópera me trouxe esse gostar de cantar notas mais agudas. Hoje em dia quem me inspira bastante é Beyoncé, Adele. Tem artistas mais novos também como Billie Eilish e Lord”, completa.

Novos projetos

A gente bem que tentou ter um spoiler mais detalhado, mas conseguimos “arrancar” e Catha o que ainda vem por aí na carreira da jovem promessa do pop nacional. E olha que ela está empolgada.

“Até o final do ano estou lançando o resto do EP todo, ainda faltam três músicas para lançar. Mas eu já estou pensando num próximo projeto, não tem nada certo ainda, mas já estou criando um conceito novo, que provavelmente vou lançar no ano que vem”, adianta a artista.

“E também já estou indo pro estúdio escrever alguns lançamentos para o início do ano que vem, mas nada certo ainda, hein!”, faz questão de frisar Catha. Tudo bem, os seus fãs agradecem pela última frase e por saber que vem ainda mais sucesso por aí!

Sem mais artigos