1236685_532978870108661_858127417_n

Neste sábado (16), a cidade de São Paulo receberá a psicodelia dos Temples. Para quem ainda não sabe do que se trata a banda (o que achamos difícil), os caras não são nada fracos! Por exemplo:  Noel Gallagher, Brett Anderson (Suede) e Johnny Marr (ex-Smiths) são fãs declarados deles, e em 2013 o grupo abriu o show dos Rolling Stones no Hyde Park, para 80 mil pessoas. Um bom começo para uma banda formada a três anos atrás, não?

O Temples vem ao país para divulgar o álbum debut Sun Estructure. O show na capital paulista rolará no Estúdio, a partir das 19h, e faz parte da próxima edição do Club NME no Brasil. A banda brasileira The Outs ainda fará a abertura, e os ingressos estão à venda (infos lá embaixo). Resumo: quem gosta de Stones, The Who, Beatles, LSD, e toda aquela influência sessentista não pode perder essa apresentação.

Antecipando a chegada dos ingleses, o Virgula Música trocou uma ideia com o baixista Thomas Walmsley para saber como anda sua expectativa em pisar pela primeira vez na terra do Carnaval. Dá uma olhadinha no que ele adiantou:

10003460_644550685618145_4307696050746794092_n

Virgula Música: É a primeira vez do Temples no Brasil. O que você espera encontrar em nosso país?

Thomas Walmsley: Temos muito pouco conhecimento do Brasil e da América do Sul. Mas todos aí parecem ser muito apaixonados por música. Não podemos esperar para tocar em São Paulo.

E o que estão preparando para o show? 

Como nunca tocamos no Brasil antes, gostaríamos de tocar o Sun Estructure para todo mundo, e também o quanto mais conseguíssemos. Estamos compondo algumas músicas novas este ano, vamos estar tocando elas também. Há uma chamada Henry’s Cake.

Vocês tocaram com os Rolling Stones. Como foi?

Foi um dia lindo. Um grande festival no Hyde Park, e foi maravilhoso ouvir os Rolling Stones também.

Noel Gallagher e Johnny Marr disseram que são fãs da banda. O que você acha disso? 

Ficamos contentes que eles gostam do que fazemos.

Temples e Tame Impala estão entre os maiores representantes da música psicodélica atual. Você acha que estamos em um bom momento para a música psicodélica? 

É promissor sentir que você faz parte de algo. Há definitivamente uma mudança, uma esperança em ver como as pessoas estão apreciando a música. O barato é que a música psicodélico estimula às pessoas a irem ver a música ao vivo. É a última coisa que temos e que realmente temos que manter. Mas a música psicodélica sempre teve seu lugar e reaparece em cada década. É apenas ótimo que as pessoas estão se tornando mais conscientes disso agora.

Você conhece algo sobre a música brasileira?

Sim, a música brasileira é ótima e particularmente a força da música psicodélica daí é alucinante. Os Mutantes foram um importante grupo. Nós fizemos turnês com o Boogarins nos EUA, eles têm os melhores ritmos.

Para finalizar, você quer enviar alguma mensagem para os fãs brasileiros?

Olá Brasil, acho que você é maravilhoso. Não podemos esperar para vê-los em São Paulo e na próxima vez, no Rio. Nós prometemos.

969106_519776938095521_1196221219_n

SERVIÇO:

Club NME apresenta Temples

Local: Estúdio – Rua Pedroso de Morais, 1036

Sábado, 16 de maio de 2015, às 19h

Para comprar ingressos: www.clubNME.com.br

Sem mais artigos