Em seu álbum de estreia, Eu Menti Pra Você, Karina Buhr é pura malemolência. Embora suas letras tragam vários toques irônicos e sarcásticos, o clima que predomina é o da delicadeza. Mas não foi esse lado da cantora que surgiu em seu show de lançamento, que aconteceu na noite de hoje (27) na choperia do Sec Pompéia.

No lugar da sutileza, surgiu a convicção. E no lugar da doçura, a cara a tapa, pronta para se jogar em um novo desafio. Karina apostou alto, criando um universo confessional e intimista em seu álbum de estreia solo, Eu Menti Pra Você. E ao vivo, acompanhada por Bruno Buarque (bateria e MPC), Mau (baixo), Guizado (trompete), Dustan Gallas (teclados e piano), Otávio Ortega (teclados e bases eletrônicas), Marcelo Jeneci (acordeon e piano) e Edgard Scandurra e Fernando Catatau (guitarras), a cantora trouxe toda a sua energia e cara de pau para encantar o Sesc Pompéia.

Longe da calmaria, Karina apostou no grito e na performance nervosa, pilhada e tensa. E fez muito bem, já que o show, que durou um pouco mais de uma hora, conseguiu reunir com perfeição os acordes harmônicos e calmos do disco com uma vibe mais crua, “suja”, evidenciada pelas guitarras certeiras de Fernando Catatau e Edgard Scandurra. Deu tudo certo, e até mesmo as faixas mais irregulares do álbum de Karina melhoraram muito ao vivo com a interpretação talentosa da cantora e a presença de sua excelente banda de apoio.

A acústica cuidadosa e o ambiente intimista da choperia do Sesc Pompéia – que estava lotada – ajudaram muito a primeira apresentação oficial de Karina Buhr após o lançamento oficial de seu primeiro álbum.

Eu Menti Pra Você pode ser um ótimo trabalho de estúdio, mas a verdadeira força da cantora está no palco – local em que coloca toda a experiência adquirida no Teatro Oficina de Zé Celso em harmonia com a malemolência do Carnaval de Recife que define a sonoridade de sua carreira. É tudo junto – mas dá certo.

Sem mais artigos