Bushmotr

(Crédito: Glauber Martarello)

Quem foi ao Cine Joia, em São Paulo, nesta noite de sábado (30), conferiu um show, digamos, mais dançante do soturno Mark Lanegan. O cantor, que é conhecido por seu trabalho com o grunge Screaming Trees, e por ter colaborado com uma porrada de gente grande do alto escalão da música (Queens of The Stone Age, Mad Season, Isobel Campbell, PJ Harvey, etc), veio ao país para divulgar seu mais recente trabalho, Phantom Radio, de 2014, que é um pouco mais ritmado.

Porém, se tratando da figura estática e séria de Lanegan, o termo dançante não é sinônimo de jogação ou requebra do esqueleto. Suas novas músicas, com programações e synths, proporcionam ao público, no máximo, um bateção de pé e um gingado com o cabeça. E, para ele, isso é o suficiente.

Mark não gosta muito de falar. É um cara de poucas palavras, e se dirigiu ao público apenas para agradecer a recepção dos fãs e em ver a casa lotada. No repertório, músicas de seus últimos discos solos: Phantom Radio, Blues Funeral (2012) e Bubblegum (2002), sem espaço para coisas do Screaming Trees ou de alguma de suas parcerias. O show começou meio devagar, mas depois engrenou e teve até um momento mais rocker, como na música Hit The City.

Mark Lanegan – “Hit The City”

Um vídeo publicado por Glauber Martarello (@glaubermartarello) em

Ao final do show, as pessoas só tinham uma coisa em mente: Mark Lanegan, que voz!!!

Como se fosse 1993: os grandes nomes do grunge

Mark Lanegan, um dos ícones do grunge, faz show sombrio para dançar em São Paulo

Sem mais artigos