Um é ícone da música popular brasileira, o outro, uma das revelações e representantes do rap atual. Milton Nascimento e Criolo unem suas afinidades sonoras e celebram a amizade no palco do HSBC Brasil, em São Paulo, nessa sexta (22) e sábado (23). A turnê, nomeada de Linha de Frente, já passou por Belo Horizonte e apresenta hinos da carreira de cada músico nesse encontro que é um louvor, segundo a definição dos dois.

Em conversa com o Virgula Música, Milton e Criolo lembram um pouco do momento em que se conheceram, e adiantam o que o público pode esperar dessa parceria que tem dado muito certo. Leia:

Virgula Música: Milton e Criolo, como vocês se conheceram?

Criolo: A gente se conheceu na 23ª Edição do Prêmio da Música Brasileira, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Era uma comemoração de 40 anos de carreira do João Bosco. Eu havia acabado de chegar e encontrei com o Ney Matogrosso, que me levou ao camarim do Milton. Aí iniciamos nosso papo e nunca mais paramos de conversar.

Milton Nascimento: Mas ele (Criolo) esqueceu de um detalhe importante: que eu o conheci antes, lá no Circo Voador. Mas o nosso encontro no Prêmio da Música Brasileira foi um louvor pra gente mesmo.

Como surgiu a ideia da parceria entre vocês?

Criolo: Milton e eu temos uma amizade bonita e a ideia partiu dele, como forma de celebrar essa amizade, de levar para o palco esse encontro da vida.

 

                   

 

O que o público pode esperar dos shows em São Paulo? Como será dividido o repertório?

Criolo: O repertório foi escolhido pelo Milton. São canções que ele gosta de cantar e que ele gostaria de cantar comigo. Algumas dele, algumas minhas. Também terá canções que não estão no repertório dele há muitos anos.

O público verá Milton cantando músicas do Criolo, e Criolo músicas do Milton? 

Criolo: Sim. 

O que cada um acrescenta na música do outro durante o show?

Criolo: A felicidade da nossa amizade é o tempero desse encontro. É uma apresentação simples, despretensiosa. A nossa vontade é dividir com as pessoas a felicidade do nosso encontro. 

Os shows em São Paulo serão diferentes do que foi apresentado no início do ano no Rio de Janeiro? 

Criolo: Esse primeiro show do Rio foi uma apresentação do Milton mesmo, onde ele convidou o Lô Borges, eu e outros artistas para subir ao palco. Eu cantei apenas três canções nesse show. Depois fizemos duas apresentaçães no Palácios das Artes, em Belo Horizonte, onde eu tive mais espaço. Agora o repertório é outro. 

Milton Nascimento: Nesse show (de São Paulo) tem até um filho meu que vai tocar cavaquinho. O negócio aqui é em família!

 

                    

 

Existe a possibilidade dessa turnê passar por mais cidades do Brasil?

Criolo: Por enquanto essa é a turnê que estamos fazendo. É tudo muito despretensioso mesmo. O tempo é que vai dizer para onde essa história vai.  

Já passou pela cabeça de vocês em gravar algum registro juntos? Um disco? Um EP?

Criolo: Quem sou eu pra pensar nisso, né? É o Milton Nascimento. Pra mim, tudo isso já é uma enorme honra. Sou grato. 

Qual é a sensação de estar no palco ao lado um do outro?

Criolo: Sublime! É uma honra estar ao lado de uma pessoa iluminada como o Milton. Ele chega e muda o lance todo. Tudo o que pode acontecer de bom no mundo se materializa quando o Milton chega. Ele é meu amigão.

Milton Nascimento: Como vou responder isso à altura do que o Criolo falou? (risos). Bom, o principal de tudo é que, quando estamos no palco, cantando nossas músicas e nossas poesias, queremos transmitir a fé e a felicidade de poder acreditar em algo maior do que qualquer ser humano poderia pensar. Essa é a sensação!

 

                   

 

SERVIÇO:

Show: Milton Nascimento e Crilo – Turnê Linha de Frente

Data: 22 e 23 de agosto, às 22h

Local: HSBC Brasil – Rua Bragança Paulista, 1281, Santo Amaro – São Paulo

ingressos: www.hsbcbrasil.com.br/en/milton-nascimento-e-criolo

 

Sem mais artigos