Neil Young

Divulgação Neil Young

Um dos principais artistas que resistiam em disponibilizar suas músicas em plataformas de streaming, Neil Young, enfim, liberou parte da sua discografia em serviços como Spotify, Deezer e Apple Music, entre outros.

Young havia retirado seu catálogo das plataformas em julho de 2015. Na época, ele negou que pudesse voltar. “Streaming acabou para mim. Espero que seja OK para meus fãs. A questão é a qualidade de som. Não quero que minha música seja desvalorizada pela pior qualidade da história em termos de difusão ou de qualquer forma de distribuição.

Antes, o músico havia se notabilizado como um dos mais engajados do mundo da música digital, ele chegou até mesmo a lançar sua própria loja de downloads e o dispositivo Pono, mas o projeto fracassou.

Em abril deste ano, as músicas já haviam sido disponibilizadas no Tidal. Bem vindo de volta, Neil Young, e veja na galeria quem ainda resiste às novas plataformas. Um dos mais famosos é Thom Yorke, que acusou o Spotify  de ser “o último peido desesperado de um corpo moribundo”.

Sem mais artigos