Ney Matogrosso e o executivo musical André Midani, francês de origem síria, estão entre os homenageados pelo Grammy Latino deste ano. O anúncio foi feito nesta terça-feira (1º). 

Além de Ney, os outros nomes lembrados para o prêmio à Excelência Musical da Academia Latina da Gravação são: Willy Chirino, César Costa, Carlos Do Carmo, Dúo Dinámico, Los Lobos e Valeria Lynch. Midani e Juan Vicente Torrealba receberão o Prêmio da Junta Diretiva.

A premiação aos homenageados será em uma cerimônia especial para convidados na quarta-feira, 19 de novembro, no Hollywood Theatre, no MGM Grand Hotel and Casino (Las Vegas), como parte da celebração da 15ª entrega anual do Grammy Latino.

 

“Estou muito surpreso mesmo e feliz com esse prêmio. Nunca imaginei que a repercussão do meu trabalho chegasse tão longe, que prestassem atenção lá de fora, de forma tão significativa”, afirmou Ney, em texto divulgado pela assessoria de imprensa do evento.

Já Midani, que começou a carreira na divisão francesa da Decca Records, em Paris, em 1952, passou pelo Brasil na extinta EMI-Odeon brasileira, quando foi emento fundamental para o estabelecimento da bossa nova e teve cargos de chefia em diversas divisões do entretenimento, na América Latina e nos Estados Unidos, em empresas como Philips/PolyGram (Brasil), Capitol Records (México) e Warner Music (Brasil e região da América Latina).

Midani atuou ao lado de nomes como Gilberto Gil, Chico Buarque, Elis Regina, Caetano Veloso, Luis Miguel, Maná, Café Tacvba e Jorge Ben Jor, entre outros. Ele é também embaixador cultural, líder de organizações internacionais, produtor de documentários e curador de vários projetos artísticos: “É um prazer enorme receber esse prêmio, que me reaproxima do convívio maravilhoso que eu tive, através dos anos, com a comunidade latino-americana: eu prezo, respeito e amo a sua música”, comentou o executivo.

Sem mais artigos