Marina and the Diamonds

Gabriel Quintão/Virgula Marina and the Diamonds

É difícil saber, até que você o veja ao vivo, se um artista, é fabricado ou autêntico. Especialmente no pop, em que artifícios como imagem e marketing, são levados mais em conta que a música em si. Como dizia Andy Warhol fazer grandes negócios também é uma arte.

No Lollapalooza em que a atração mais aguardada é Florence + The Machine, neste domingo (13), Marina and the Diamonds comprovou o momento de girl power em alta, com Beyoncé e Rihanna dando as cartas e tendo à mesa nomes como Katy Perry, Lady Gaga, Miley Cyrus, Grimes e Madonna.

Aos 30 anos,  Marina and the Diamonds não é mais nenhuma aposta. E sua apresentação no Lolla, no sábado, mostrou que ela tem todas as credenciais para figurar no time de superheroínas do pop.

Os melhores figurinos da noite foram da galesa de origem grega. Sorridente, talvez como forma de redenção após ter dado o bolo na edição de 2015, ela anunciou que não faria o seu show “de festival” e sim um apanhado de todos os três álbuns que têm na bagagem:The Family Jewels, Electra Heart  e Froot.

Os diamandis, como são chamados seus fãs, estavam certos. Marina é uma joia com magnetismo próprio, lapidada com carisma e talento. Quantos mil quilates tem essa garota?

Veja o repertório de Marina and the Diamonds

The Family Jewels

Mowgli’s Road
I Am Not a Robot
Oh No!
Hollywood

Electra Heart

Bubblegum Bitch
Teen Idle
How to Be a Heartbreaker
Primadonna
Lies

Froot

Froot
Savages
Can’t Pin Me Down
I’m a Ruin
Forget
Blue

Sem mais artigos