Um dos maiores representantes da sonoridade dos tambores amazônicos, o Trio Manari se apresentou no primeiro dia do Conexão Vivo Belém, após os cantores Deco Sampaio & Os Penetras (PR) e o paraense Ivan Cardoso, que abriram o evento.

Convidados por produtores do cacife de Miranda e Cyz Zamorano, o Trio participou das duas edições do repercutido evento Terruá Pará, realizado em 2006 e nos dias 25 e 26 de junho de 2006 no Teatro do Ibirapuera em São Paulo. O evento apresentou talentos da música paraense para o mercado fonográfico brasileiro como La Pupuña, Gaby Amarantos, Dona Onete (a Cesária Évora da Amazônia), Felipe Cordeiro, Pio Lobato e Paulo André Barata.

A cantora Érika Nunes, que tem na percussão uma de suas maiores paixões, fez uma participação especial no show do Conexão Vivo, cantando a música Baluaiê, do maestro Waldemar Henrique. “Preciso dessa energia dos tambores, eles traduzem essa sonoridade que tanto busco. Para mim é um prazer participar deste projeto que tem a intenção de unir novos talentos a grandes referências”, conta Érika.

A musicalidade do Trio traduz-se em forma de carimbó, ritmo típico da região. “Nossos tambores são diferentes porque o som vem de elementos naturais como o couro da cobra e da madeira da siriubeira”, explica o percussionista Nazaco. Ele relata um caso curioso quando um casal de paulistas, após assistir o Terruá Pará, veio se casar no município paraense de Santarém ao som do Trio Manari e do músico e compositor Felipe Cordeiro.

O Trio ainda tocará amanhã (sexta) com o cantor Marco André e sábado com Dona Onete.

Percussão amazônica é destaque no primeiro dia do Conexão Vivo

Sem mais artigos