Pink

Pink foi a escolhida para ilustrar a capa da publicação gay The Advocate, no mês de novembro. Apesar de não ser reconhecida como um ícone gay, a cantora tem muita atitude e um estilo andrógino. Além de falar sobre música, sexualidade e drogas, a norte-americana também posou para um ensaio senxual que ilustra a revista. 
 

Sua sexualidade é amplamente discutida na mídia, desde que boatos sobre sua opção sexual surgiram anos atrás. “Eu nunca me defini. Eu não acho que seja necessário. Quando eu me mudei para Los Angeles, fui reconhecida como ‘lésbica honorária’ da cidade. Isso gerou muitos rumores sobre minha preferências”, explicou. 
 

“Eu não era gay, mas todos as minhas amigas são. Isso nunca foi um problema para mim. Mas quando um tabloide resolve contar coisas sobre a minha vida que não são verdade, isso me tira do sério. Minha vida sempre foi aberta, nunca escondi nada. Não há necessidade de inventar coisas. Poderia ser gay pela maneira como eu me visto e me comporto. Mas, eu simplesmente não sou.”  
 

A cantora também falou sobre dogras. “Eu era uma garota explorando a vida ao lado de outros jovens que também estavam buscando por algo. Aqueles dias foram realmente muito malucos. Tomei muito ecstasy. Quando foi está sob o efeito da droga não há barreira, não há sexualidade. Apenas excitação e experiências”, finalizou. 

<iframe width=”636″ height=”358″ src=”http://www.youtube.com/embed/lUvYR2ZYjVY” frameborder=”0″ allowfullscreen></iframe>

Pink posa para publicação gay e fala sobre sexualidade: "Eu nunca me defini"

Sem mais artigos