Ninguém em sã consciência discute que Taylor Swift é a garota do momento, graças ao lançamento de seu álbum 1989, além de, claro, ela ter para si o título de America’s Sweetheart. Ela é toda fofinha, vestidos rodados e gatinhos, mas, bom, não queira irritá-la. Quem faz isso corre um risco beeeem grande de ir parar em uma de suas músicas. E a garota tem uma língua super afiada pra responder a qualquer um que já tenha a machucado.

E o que todo mundo fica se perguntando cada vez que ela solta um single é: pra quem essas indiretas são? O Virgula Música separou as alfinetadas que a Taylor já mandou por meio de músicas e te conta quem é o destinatário. Vem ver ;)

Forever & Always está no álbum Fearless, segundo da carreira da cantora. Ela foi escrita e gravado um pouquinho antes de o trabalho ir para a masterização. Pra quem era a mensagem que Taylor Swift estava tão apressada para mandar? Joe Jonas. “É uma música sobre como alguém simplesmente vai desaparecendo de um relacionamento e você fica se perguntando o que fez de errado”, ela disse para o site da People.

“Sabe, quando eu encontrar a pessoa certa pra mim, ele será maravilhoso. Quando eu olhar para ele, eu não vou nem me lembrar do cara que terminou comigo pelo telefone em 25 segundos quando eu tinha 18 anos… Eu olhei o tempo da ligação — deu uns 27 segundos. Tem que ser um recorde.”

Verso mais afiado: “Eu estava fora de controle? / Eu disse algo honesto demais que fez com que você corresse e se escondesse / Como um garotinho assustado?”

 

Mean está em Speak Now, provavelmente o álbum com mais indiretas que Taylor Swift já fez. Esta faixa é uma das mais country da carreira de Taylor, toda trabalhada no banjo e nas palavras cortantes ditas com voz doce (uma especialidade da guria, vamos combinar).E ela foi escrita para Bob Leftsetz, um crítico que detonou a Taylor depois de uma apresentação dela com Stevie Nicks no Grammy. O mais legal de tudo isso? Mean rendeu a Taylor dois Grammys: um de melhor canção country e outro de melhor perfomance solo country. Ah, a doce vingança, não é mesmo?

Versos mais afiados (é impossível escolher um só): “Eu aposto que você foi intimidado / Alguém te deixou frio / Mas o ciclo acaba / Você não vai conseguir me arrastar pra essa estrada”

“Eu consigo ver você daqui a alguns anos em um bar / Falando sobre um jogo de futebol / Com aquela opinião barulhenta / Mas ninguém está te ouvindo / Você está decandente e xingando sobre as mesmas coisas amargas e velhas / Bêbado e resmungando sobre como eu não sei cantar”

“Mas tudo o que você é é malvado / E um mentiroso / E patético / E sozinho na vida”

Dear John é uma das músicas mais longas de Speak Now. Afinal de contas, Taylor realmente precisava de mais de seis minutos para xingar o ex, John Mayer. Bom, o objetivo dela foi alcançado, considerando que ele contou para a revista Rolling Stone que se sentiu ‘humilhado’ pela música. Não é à toa. Ah, vale lembrar ainda que, como o NY Times notou, a música é um blues elétrico, cheio de guitarras no fundo — e quem é um exímio guitarrista, que trouxe o blues pro pop de maneira exemplar? Desculpa, John, a gente ainda te ama, mas essa música é genial.

Versos mais afiados (é impossível escolher um só — de novo): “E eu vivi no seu jogo de xadrez / Mas você mudava as regras todos os dias”

“Bem, talvez os culpados sejamos eu e meu otimismo cego / Ou então é sua necessidade doentia de dar amor e retirar / Então você vai adicionar o meu nome na sua longa lista de traidores que não entendem / E eu vou olhar para traz e me arrepender por ter ignorado quando me disseram ‘corra o mais rápido que você puder’”

“Você é um especialista em desculpas / E em manter os limites incertos / Nunca se impressionava por eu gabaritar o seu teste / E todas as garotas que você esgotou tem olhos cansados, sem vida / Porque você as consumiu”

Better than Revenge é a faixa sororidade zero de Speak Now. A vítima de todo ódio foi Camilla Belle, atriz por quem Joe Jonas trocou Taylor. Se aquele “Ela não é uma santa, ela não é o que você pensa, ela é uma atriz” não for o suficiente pra te dar a certeza, você pode se lembrar do verso “Então vem, me mostra o quão melhor você é”. Aqui, Taylor se refere a uma música dos Jonas Brothers de 2009 chamada Much Better? “Agora eu cansei de super estrelas / E todas as lágrimas no violão dela / Eu não estou amargo / Agora eu vejo que tudo que eu precisava / É a garota na minha frente / Ela é muito melhor”. Só pra deixar claro, ‘Teardrops on my Guitar’ é o nome de uma música do primeiro álbum de Taylor. Era bem óbvio que ela não ia deixar nada disso barato. Sabe aquele meme *Aplique água gelada na queimadura*? É tudo o que vem na nossa cabeça depois de ouvir Better Than Revenge. “A música é sobre uma garota, que há alguns anos, roubou meu namorado. Eu acho que ela provavelmente pensou que eu esqueci. Mas eu não esqueci”, Taylor disse sobre a faixa em entrevista. Bom, vingança é um prato que se come frio, né, rs.

Versos mais afiados (é impossível escolher um só — de novo, mais uma vez): “Ela é mais conhecida pelas coisas que ela faz no colchão / Em breve ela vai descobrir que roubar os brinquedos dos outros no playground não vai te ajudar a fazer muitos amigos / Ela devia ter em mente / Que não há nada que eu faça melhor do que vingança”

“Ela vive a vida como se fosse uma festa / E ela está na lista / Ela olha pra mim como se eu fosse uma moda / E ela já superou / Eu acho meio perturbador ela estar sempre com a cara franzida”

“Sofisticação não é o que você veste ou quem você conhece / ou derrubar pessoas para conseguir chegar aonde você quer / Oh, eles não te ensinaram na escola preparatória / Então vai depender de mim / Nenhuma quantidade de vestidos vintage vão te dar dignidade”

Innocent foi escrita para Kanye West. Lembra daquela cena em que ele rouba o microfone da Taylor e “i’mm let you finish”? É claro que isso virou piada pra todo mundo e, como sempre acontece na vida de Taylor, ela transformou o acontecimento em uma canção. Ela respondeu à atitude de Kanye West com uma música linda, sobre perdão. Mas, bom, dói um pouco. Afinal, quantas pessoas você acha que teriam coragem de dizer a Kanye West que o perdoam por ele ainda ser inocente?

Verso mais afiado: “Não era mais fácil nos seus dias de lancheira? / Sempre uma cama maior em que engatinhar / Não era lindo quando você acreditava em tudo? / E todo mundo acreditava em você?”

I Knew You Were Trouble é uma das músicas mais bem sucedidas de Red e a gente não tem dúvida nenhuma sobre quem é, né Harry Styles? Os boatos são de que Taylor escreveu a música depois de ver fotos de Style beijando a modela Emma Ostilly, na Nova Zelândia. Há quem diga que a música, na verdade, seja pra John Mayer. Mas vamos nos lembrar do discurso da Taylor ao aceitar o VMA de Melhor Vídeo Feminino e a câmera cortando pro One Direction e a cara MARAVILHOSA que o Niall Horan fez ao olhar pro Harry Styles.

Verso mais afiado: “E o medo mais triste / Chega me arrepiando / Porque você nunca me amou / Nem a ela / Nem a qualquer pessoa / Nem a qualquer coisa”

 

We Are Never Ever Getting Back Together é uma mensagem beeeem clara para… Jake Gyllenhaal (acertar o sobrenome desse cara devia ser pergunta da Fuvest). Um relacionamento cheio de indas e vindas, fielmente retratado pelos paparazzis sempre de plantão, sem contar algumas pistas na letra e no vídeo: a preferência dele por músicas ~indie~, o cachecol, o bracelete…

Verso mais afiado: “E você se esconde pra encontrar a sua paz de espírito / Com algum álbum indie que é *tão* mais legal do que o meu”

 

Blank Space é o segundo single de 1989. Nele, Taylor incorpora todas os estereótipos que a mídia tenta colar nela por conta de sua vida amorosa de uma maneira irônica, assumindo a faceta de “man-eater”, que “namora pra ter sobre o que escrever”. Pra completar, ela também interpreta essa personagem no clipe da música. Joseph Kahn, diretor do vídeo, contou em entrevista para a Forbes que ela o abordou com a ideia do que queria para a peça, dizendo que ela sabia de todas as piadinhas que faziam sobre seus ex-namorados e que ela queria se caracterizar como a personagem que as pessoas acreditam que ela é de uma maneira divertida, interpretando uma vilã maluca.

Verso mais afiado: “Descobrir o que você quer / Ser aquela garota por um mês / Mas o pior ainda está por vir”

 

Shake it Off foi a primeira música que a gente ouviu de 1989 e é direcionada para… os haters. Que parecem estar em todos os lugares, mãs, adivinha só, quem é a cantora que mais vendeu álbuns em uma semana de 2012? Uhum. Essa música é praticamente a trilha sonora para todos os memes de ‘haters gonna hate’ que você já viu na sua vida.

Verso mais afiado: “Eu vou a muitos encontros / Mas não consigo fazer com que nenhum deles fique / Pelo menos, é o que as pessoas dizem”

 

Bad Blood não é sobre um cara. Na real, boatos dizem que ela é pra Katy Perry. Isso aí. E nem é por causa de boys, dik. Sem nunca mencionar o nome da Lady Cat, Taylor contou que sempre desconfiou da amizade da garota a quem Bad Blood se dirige. “Por anos, eu nunca tive certeza se nós éramos amigas ou não. Ela me encontrava em premiações, dizia algo e ia embora, e eu pensava ‘Nós somos amigas ou ela acabou de me insultar mais severamente que qualquer outra coisa na minha vida?’”. E aí tudo desandou mesmo quando Taylor percebeu que a outra artista estava tentando sabotar a sua carreira, contratando dançarinos que estavam na sua turnê. E Katy Perry ainda respondeu aos boatos de que a música era pra ela no twitter. Vixe. Treta.

Verso mais afiado: “Band-aids não consertam buracos de bala / Você pede desculpas só pra aparecer / Se você vive assim você vive com fantasmas”

 

 

Sem mais artigos