Na tarde de sábado (18), o Public Enemy, um dos grupos mais icônicos do rap mundial, transformou o Clube de Regatas Tietê, em São Pauloem uma verdadeira pista de dança, com um show gingado, de muito rap e soul. A apresentação marcou a liberação da área de eventos do local, reaberto no finalzinho de setembro.

Chuck D, Flavor Flav e DJ Lord subiram ao palco perto das 16h e fizeram um compilado da carreira, com os hits Don’t Believe The Hype, Black Steel In The Hour of Caos, 31 Flavors, Bring The Noise e Fight The Power no setlist. Acompanhados de uma banda e integrantes fardados que se soltavam às vezes para arriscar alguns passos de dança, também houve espaço para trechos de Back in Black, do AC/DC, Seven Nation Army, do White Stripes e Smell Like Teen Spirit, do Nirvana, enquanto os MCs soltavam as rimas.

Flavor Flav, vestido inteiro de verde (e com seu clássico relógio pendurado no pescoço, claro!), deu show à parte: ele dançou, tocou baixo e arriscou uns beats na bateria. Chuck D, mais contido, se referiu ao público como “minas e manos” (em português mesmo), disse que se sente em casa no Brasil e saudou alguns grupos nacionais, como Racionais MC’s e MV Bill, antes de chamar os rappers Dexter e Rappin’ Hood ao palco para cantar em nossa língua materna.

Porém, um outro show, mais particular, aconteceu antes dos portões abrirem. Na passagem de som, o prefeito Fernando Haddad (PT), responsável pela vinda do PE, fez uma visita surpresa. Ele conversou com os integrantes do grupo americano e, pasmem: tocou guitarra. Haddad mandou um riff do clássico Smoke on The Water, do Deep Purple. Um momento para ficar na história. Pena que não foi repetido na apresentação “oficial”. É o melhor prefeito, ou não é?

  

Sem mais artigos