Quarenta anos atrás o povo acompanhava a Seleção Brasileira na Alemanha, na expectativa do tetra. O golpe militar derrubava as forças democráticas e implantaram a ditadura. E, um cantor baiano chamado Raul Seixas retratava tudo isso em seu terceiro álbum, Gita, que completa quatro décadas este ano.

Para comemorar essa data especial, vários músicos se reuniram e decidiram fazer uns shows tributos ao álbum do Raulzito. É o projeto Gita – 40 Anos. Os concertos serão realizados amanhã (31 de outubro) e sábado (1 de novembro) no Sesc Pompeia, em São Paulo, às 21h30. Maurício Pereira, Rubi, BNegão, Fernando Catatau e Zé Geraldo serão alguns dos cantores que interpretarão o Maluco Beleza.

Mesmo 40 anos depois, as letras de Gita continuam muito atuais, e, para provar isso, a gente selecionou algumas frases de cada música do disco que comprovam que a obra poderia muito bem ser escrita hoje em dia. Veja abaixo (e toca Raul!):

Depois do 7 x 1 da Copa, a canção Super-heróis poderia ser nosso hino oficial. Não acham? – “Como é que eu posso ler se eu não consigo concentrar minha atenção/ Se o que me preocupa no banheiro, ou no trabalho é a seleção

Seria a letra de Medo da Chuva uma indignação com a nossa política, eleições, promessas, etc? – “Eu não posso entender/ Tanta gente aceitando a mentira”

Música: As Aventuras de Raul Seixas na Cidade de Thor. Precisa explicar? – “A civilização se tornou complicada/ Que ficou tão frágil como um computador”

Em Água-viva, Raulzito já antecipava ironicamente a falta de água em SP. Triste premonição! – “Que desta água se fartam mesmo às escuras/ Ainda que seja de noite”.

Se sentir por fora, ou excluído, sempre foi um assunto recorrente, certo? E não é diferente hoje em dia. Dá-lhe versos de Moleque Maravilhoso. – “Quebrando vidraças do velho Ricardo/ Nesta vizinhança sou filho bastardo”

Ah, os relacionamentos antigos ou modernos (sempre eles!). Música: Sessão das 10 – “Curtiu com meu corpo/ Por mais de dez anos/ E depois de tal engano/ Foi você quem me deixou.”

Sociedade Alternativa influenciou gerações posteriores, fazendo-as sairem às ruas em 2013 para protestarem à favor de seus direitos. A canção está no coração do brasileiro. – Faz o que tu queres/ Pois é tudo/ Da Lei! Da Lei!/ Viva! Viva!/ Viva A Sociedade Alternativa…”

É só estar em São Paulo, ou em qualquer metrópole, e entender o que O Trem das 7 quer dizer. – “Ói, olhe o céu, já não é o mesmo céu que você conheceu, não é mais/ Vê, ói que céu, é um céu carregado e rajado, suspenso no ar”

Um tema recorrente dos nossos dias: a violência. Música: S.O.S. – “Hoje é domingo/ Missa e praia/ Céu de anil/ Tem sangue no jornal”

Uma música: Prelúdio, um lema: unidos venceremos! – “Sonho que se sonha só/ É só um sonho que se sonha só/ Mas sonho que se sonha junto é realidade”

Loteria da Babilônia poderia muito bem se chamar O Gigante Acordou. – “Vai! Vai! Vai!/ E grita ao mundo/ Que você está certo/ Você aprendeu tudo/ Enquanto estava mudo”

Em uma geração que mais se comunica por teclas do que com palavras, afastando o contao humano cada vez mais, Gita continua falando de nós. – “Às vezes você me pergunta/ Por que é que eu sou tão calado/ Não falo de amor quase nada/ Nem fico sorrindo ao teu lado”

SERVIÇO:

Show: Gita – 40 anos

Quando: Dias 31 de outubro e 1 de novembro de 2014, sexta-feira e sábado, às 21h30.

Onde: Choperia do Sesc Pompeia, Rua Clélia, 93, São Paulo, Pompeia

Ingressos: R$ 5,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$ 15,00 (usuário inscrito no Sesc e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 30,00 (inteira).

Sem mais artigos