O rapper gay Mykki Blanco, detido na última segunda-feira (19) no aeroporto de Lisboa, utilizou, ao longo desta quarta, a sua página oficial no Facebook, para criticar a mentalidade portuguesa, que disse ser, no geral, homofobica, e denunciar mensagens de ódio “assustadoras” e ameaças que recebeu nos últimos três dias.

A polêmica teve início quando o artista anunciou a sua detenção em solo português com as seguintes palavras: “Estou sendo preso em Portugal por ser gay”. Segundo explicou, mais tarde, na rede social, Blanco perguntou para um policial, após a sua chegada ao aeroporto, onde poderia adquirir um voucher para táxis, uma vez que não dispunha de dinheiro para pagar o transporte – apenas cartão de crédito. O agente respondeu que não conseguia ajudá-lo. Perante a insistência do músico, o policial teria respondido: “Já falei para você sair daqui, sua bicha!”, o que levou Blanco a responder de forma ofensiva e acabar sendo detido.

Segundo informações do jornal P3, Mykki foi liberado após ter sido ouvido no Tribunal de Instrução Criminal e de ter sido multado. O Comando Metropolitano de Lisboa, não confirmou, no entanto, a versão do músico, alegando que ele foi preso por “perturbação da ordem pública”.

Assim que deixou o prédio da polícia, o rapper usou redes sociais para promover um show que fará hoje, em Lisboa. Mykki, porém, ficou chocado com a repercussão do caso e com as mensagens de ódio que recebeu. Revoltado, ele escreveu: “Estou farto das pessoas defenderem Portugal devido a um orgulho nacional falso. Sabem que mais? O país de vocês é tão fodid* como qualquer outro no mundo. Lidem com isso”.

Mais tarde foi a vez de uma publicação menos polêmica, com o artista mostrando uma foto do seu jantar, que acompanhou com a seguinte legenda: “É mais fácil falar sobre comida deliciosa do que de preconceitos morais, não é? Cresçam. A vida não é justa. O preconceito é real, yummy!”.

A troca de farpas entre Mykki Blanco e os portugueses continuou pouco depois, com o rapper escrevendo: “Eu não costumo fazer isto, mas, é sério, o fascismo e o nacionalismo expostos nestes comentários estão me deixando maluco. ONDE ESTÃO OS NEGROS DE PORTUGAL? Engraçado como nenhuma destas observações vem de alguém que seja afro-português? Estranho, certo? NÃO”.

Depois de ter compartilhado um print screen de um comentário homofóbico feito por um português, o qual acompanhou, em tom de ironia, um convite para a sua performance, e de ter publicado uma fotografia do palco onde vai apresentar-se, Mykki Blanco voltou a dirigir-se aos portugueses: “Espero que TODOS os que marquem presença no show se sintam SEGUROS. Alguém fez uma publicação sobre ‘linchar-me’ e isto não é nenhum drama da internet, estou MESMO assustado com essas ameaças”.

“Vou deixar Portugal depois do show. Por favor, parem de escrever discursos de ódio, parem de ameaçar que me vão enforcar, de publicar imagens de escravos e de deixar mensagens de ódio gay na minha página. Vi um lado verdadeiramente preocupante desta cultura”, rematou, há cerca de dez horas.

Veja o clipe de Wavvy:

 

 

Sem mais artigos