Caetano cantando ao lado de Sandy? Frejat em um dueto com Júnior? Parcerias ecléticas como essas, se não estavam em um programa Criança Esperança, estavam em um projeto com uma fórmula mais ou menos parecida: Senna in concert, que lotou ontem o Pacaembu e cuja renda será revertida para os projetos sociais do Instituto Airton Senna.

Entre as diferenças da maratona Criança Esperança, o horário, um show muito mais curto — mas rico em estrelas da Música Popular Brasileira — e o fato de Xuxa, apesar de presente e ovacionada pelo público, não ter cantado. Para alegria de muitos, pelo menos.

Milton Nascimento, Chico Buarque, Gilberto Gil, Daniela Mercury e Ivete Sangalo também dividiram o palco, cantando canções conhecidas do público — o que ajuda a aumentar a dose de emoção já que há o garantido acompanhamento da platéia — e com mensagens positivas (´”é preciso saber viver”, “amigo é coisa pra se guardar”, “cio da terra, propícia estação”, “e vai rolar a festa”) no ar, na noite fria de despedida do verão paulista.

Intercalados com vários depoimentos, e com apresentação do narrador Galvão Bueno, a fórmula do Senna in concert parece ter dado certo para os própositos de Viviane Senna, nos bastidores, a verdadeira comandante do espetáculo. E ela não deixa de ter seu mérito ao decidir promover um evento desse tipo na data que seu irmão estaria completando 44 anos. Ou seja, celebrando a vida.

Sem mais artigos