Ainda bem que Ivete Sangalo avisou que estava gripada. Senão, ninguém saberia. No show realizado no último domingo (25/07), no Credicard Hall, em São Paulo (em uma noite que já tinha começado bem depois da vitória do Brasil sobre a Argentina na Copa América), a baiana cantou, dançou, agitou a galera que simplesmente lotou a casa (que tem uns seguranças que insistem em deixar a gentileza em casa) e ainda teve tempo para fazer propaganda de todos os seus patrocinadores. E isso tudo com aquela gripe! Tudo bem que às vezes a tosse deixava claro que a saúde não estava perfeita. E alguns tons mais longos deixados de lado também sinalizavam uma fraqueza. Mas a voz, olha, pode ter certeza de que era a mesma de sempre.

Depois de entrar no palco com mais de uma hora de atraso (já estava na hora de os artistas evitarem esse tipo de comportamento), Ivete Sangalo ficou por lá durante mais de duas horas. Não esqueceu de nenhuma das músicas presentes no álbum MTV Ao Vivo. Tanto que, se ela não fosse uma artista completa, comprar o DVD lançado no início deste ano já seria suficiente.

A única diferença de ver uma das apresentações de Ivete pela TV ou estar presente em uma delas, além de vê-la de perto (ela é linda mesmo, isso é inquestionável), é sentir a vibração do público. Claro que pessoas mal-educadas existem em toda parte, até em uma ópera. Mas não queira aparecer em um show de axé sem levar um empurrão aqui, um pisão no pé ali ou uma cantada mais sem noção.

Ivete surpreendeu ao lembrar alguns dos sucessos da Banda Eva que não aparecem no disco, além de canções recentes que também ficaram de fora do álbum. A galera foi ao delírio ao som de “Arerê” e “Levada Louca”, por exemplo, e adorou quando, no bis, a cantora levou “Bug Bug, Bye Bye”. Aliás, falando em bis… esse foi bem longo, com cinco músicas e uma versão ampliada de “Flor do Reggae”. Mas tudo bem, o pessoal não se importou muito não.

A matéria continua…

Sem mais artigos