Enquanto a maior parte dos brasileiros não conseguiu dormir na noite desta quarta (11) por conta da abertura da Copa do Mundo (o Brasil vai jogar contra quem, eim?), o público mais hipster de São Paulo teve um outro motivo para ficar fora da cama: Sky Ferreira.

A americana, que abriu os shows da Bangerz Tour de Miley Cyrus, esteve no Brasil divulgando o seu álbum Night Time, My Time. Com o Cine Joia lotado, ela entrou no palco pontualmente às 23h, após abertura da banda Schoolbell, escolhida em um concurso. De óculos de sol e blusa de frio por cima de um vestido preto, ela atacou o microfone após um gole de água e sem palavras para platéia, apesar de uma bandeira verde amarela no ombro e outra pendendo do teclado.

Sky Ferreira é o retrato da calma no palco. Alta e magra, ela brinca com os óculos de sol azuis e toma água durante todo o show. Ela se agacha, toca as mãos dos fãs desesperados e dá autógrafos enquanto canta como se tivesse todo o tempo todo mundo. Já a sua voz é forte e limpa, e Sky faz bom uso de seus tons. Nada de grandes momentos vocais, mas uma interpretação expressiva e consistente.

Os fãs, claro, enlouqueceram. E tiveram os seus “eu te amo” respondidos com um “obrigado” — talvez Sky apenas não soubesse do código de rasgação de seda que impera nos shows ocorridos em solo tupiniquim, já que ela parecia honestamente satisfeita com a plateia. Praticamente todas as músicas foram acompanhadas com o entusiasmo típico de quem sabe Night Time, My Time de cor e salteado. E os EPs também — aparentemente melhor até do que a própria Sky. “Quem sabe o primeiro verso?”, ela perguntou com um leve constrangimento quando os acordes de Sad Dream começaram a tocar, após pedidos da plateia. Sky teve que dar um pulinho nos bastidores, de onde voltou com a música na ponta da língua. Acompanhada apelas pela guitarra e com lágrimas nos olhos, teve até direito a isqueiros acesos no fim da música.

Enfim. Espera-se que a boa experiência no palco tenha apagado uma primeira impressão negativa que Sky pudesse ter tido do Brasil — tudo graças a um “apresentador” de “talk show” “engraçadinho” que achou pertinente ficar fazendo piadinhas sobre os seios dela na capa do álbum e um clipe com aranhas.

Sem mais artigos