Uma briga de muito tempo atrás começa a tomar forma: De um lado, Rita Lee, do outro, Zezé de Camargo.

Acontece que Rita é supercontra rodeios por ter um “vasto material comprovando os maus-tratos” ao animais.

“Se Zezé conhece os abusos e acha normal”, sinto muito pela sua ignorância espiritual”. “Se desconhece, está na hora de conhecer.” Afirmou a roqueira.

Para rebater, o sertanejo disse que Rita “nunca foi ao rodeio olhar num brete (corredor onde ficam os bois) como se arruma um animal para o peão montar”. “Acompanho há dez anos. Não acho natural o boi sofrer, como ela diz. Tenho certeza de que não sofre. Se tivesse do contrário, seria o primeiro a boicotar.”

Entre as muitas reclamações que o cantor fez à Rita, disse que o rodeio, em si, gera muitos empregos, e não é justo que seja ameaçado pela “mediocridade de algumas cabeças”.

Cita a indiferença ao sofrimento do boi, tanto em um rodeio, quanto o dia inteiro numa mínima carroça, ou num matadouro. “Ela já foi ao matadouro ver como o boi morre?”

A cartada final foi ele ter dito que a roqueira quer ficar em “evidência”, e faz críticas por não ter espaço em rodeios. Além disso, o cantor acha injusto ela dizer que rodeio é um “lixo americano”.

“Queria perguntar a Rita Lee: de onde é o rock que ela faz? Do Ceará, da Bahia, derivado do baião, da moda de viola? O que tem mais de brasileiro: o rock dela ou o country dos rodeios? Então somos juntos lixos americanos.”

Sem mais artigos