Mitos_Vagina_2Wikimedia CommonsWikimedia Commons

Usar pepino para limpar as partes íntimas, iogurte para combater infecções na vagina, receitas caseiras para combater o odor vaginal. A lista de crenças populares sobre tratamentos e o “pode não pode” quando se trata da vagina vai longe. Pensando nisso, a ginecologista Alyssa Dweck escreveu o livro The Complete A to Z for your V (O A a Z Completo para sua Vagina), sobre mitos e verdades relacionados ao assunto.  

Em entrevista ao jornal Daily Mail, a especialista compartilhou 10 dos tópicos mais populares:

Mito 1: Produtos de higiene feminina
Produtos com perfume e lenços umedecidos não são necessários para limpeza da vagina e podem causar danos à parte íntima da mulher, afirmou a ginecologista. Dweck afirmou que a vagina tem um sistema de auto-limpeza e produtos de higiene podem bagunçar o balanço natural, causando irritação e coceira. Sabão neutro e água morna são suficientes para fazer a higiene íntima.

Mito 2: Iogurte combate infecção vaginal
As bactérias contidas no iogurte, os lactobacilos, são diferentes do tipo indicado para sua vagina. Embora iogurte natural pode ajudar a combater o sintomas da infecção, devido a diminuição de temperatura na área, a bebida não combate os fungos causadores do problema.

Mito 3: Coceira vaginal é sinal de infecção
Nem sempre. A coceira na vagina poder ser causada por irritação devido uso de algum produto, mudanças hormonais, piolho e DSTs. Caso a coceira persista, a melhor opção é visitar um especialista.

Mito 4: Tampão pode ficar perdido dentro do corpo
Segundo Alyssa, tecnicamente é impossível perder um tampão dentro do corpo, pois o espaço no final do canal da vagina é muito pequeno. No entanto, algumas mulheres esquecem de remover o tampão e o absorvente pode “ficar perdido” no sentido de estar em um local difícil de ser retirado.

Mito 5: DSTs sempre apresentam sintomas
Herpes é transmitida durante o sexo e dificilmente apresenta sintomas, por isso fica mais difícil de diagnosticar. “Metade das mulheres que enfrenta o problema não sabe”, afirmou Alyssa.

Mito 6: Corrimento significa que há algo errado
Corrimento é normal, a maioria das jovens e mulheres adultas enfrentam o problema, segundo a ginecologista.  É um fluído que mantém a vagina limpa, umedecida e protegida contra infecções. Algumas mulheres têm corrimento dias antes e depois do período menstrual, outras quando estão ovulando, explicou a especialista. O importante é saber o que “é fora do comum” para cada uma.

Mito 7: Você pode ficar bêbada ao usar um tampão encharcado de álcool
Um tampão não consegue absorver quantidade necessária de álcool para deixar uma mulher bêbada, contou Alyssa. Cientistas fizeram testes em 2014 para avaliar as possibilidades. Na experiência, pesquisadores mergulharam tampões em vodka e descobriram que o absorvente é capaz de armazenar uma fração de um shot de vodka.

Mito 8: Não chegar ao orgasmo indica algum problema na vagina
Muitas mulheres, para não dizer a maioria, precisam de estímulo no clitóris para chegar ao orgasmo, afirmou a ginecologista.

Mito 9: Muito sexo pode deixar a vagina mais larga
A flexibilidade da vagina é impressionante, segundo Alyssa. “Mesmo que a vagina esteja mais apertada em certas situações e frouxa em outras, é um órgão muito elástico”, disse a ginecologista. Sexo não causa danos à elasticidade vaginal. Parto normal, por outro lado, pode provocar mudanças definitivas no canal vagina, mas para isso, indicou a especialista, existem diversos exercícios.

Mito 10: Tem o hímen intacto significa que você é virgem
O hímen pode ser rompido na primeira relação sexual, mas usar a membrana como fator determinante sobre a virgindade da mulher não é seguro, afirmou Alyssa. Algumas atividades físicas, procedimentos médicos e o uso de tampão também podem romper o hímen.

 

 

 

 

Sem mais artigos