Pesquisa mostrou que minorias têm mais tendência a pensamentos e práticas suicidas

Reprodução Pesquisa mostrou que minorias têm mais tendência a pensamentos e práticas suicidas

Cerca de um terço dos universitários já pensou em suicídio, de acordo com um estudo feito pela universidade belga Leuven em oito países diferentes. Jovens transgêneros formaram o publico de maior risco. Pessoas não cristãs, meninas e filhos de pais separados também foram apontados como fatores de risco para ter intenção ou cometer ato contra a própria vida. Ou seja, os pesquisadores entenderam que as minorias sociais estão mais propensas ao suicídio. As informações foram divulgadas pela NBC

Entre os quase 14 mil entrevistados, 32.7% afirmaram já terem pensado em tirar a própria vida, 17.5% fizeram planos de como cometer suicídio, e 4.4% tentaram se matar. Três quartos dos estudantes começaram a ter pensamentos suicidas aos 16 anos., e metade desse grupo transformou o pensamento em um plano. Do total dos que planejaram de matar, 22% realmente tentaram tirar a própria vida.

“É importante ter em mente que o aumento no risco é modesto”, afirmou o autor da pesquisa e neurocientista Philippe Mortier. “Especialmente quando consideramos tentativas de suicídio, a maioria dos estudantes que enfrentam problemas na orientação sexual não tenta se matar”, continuou. No entanto, a pesquisa mostra que o primeiro ano de faculdade é o momento ideal para ficar atento ao comportamento dos estudantes e fazer intervenções necessárias em caso de suspeita de risco de suicídio.

“É essencial, no entanot, que estudos no futuro levem em conta fatores de risco adicionais que possam diferenciar estudantes em grupos de alto risco que podem cometer tentativas e conseguirem tirar a própria vida”, acrescentou Mortier. No mundo, o suicídio fina segunda causa de morte entre jovens de 15 e 29 anos, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Sem mais artigos