Era 20 de fevereiro de 2005. Há 10 anos, Hunter Thompson metia uma bala de espingarda na cabeça. Assim, se encerrava uma jornada profissional e pessoal em que sexo, drogas, futebol e política se misturaram, resultando num dos trabalhos mais originais do novo jornalismo:  gonzo journalism. Jornalismo fora-da-lei, alternativo e cubismo literário foram alguns nomes que o gênero inventado por Thompson recebeu.

Entre os mais de 30 livros que o jornalista de Louisville, no Kentucky, escreveu está o famoso Medo Delírio em Las Vegas: Uma jornada selvagem ao coração do sonho norte-americano. (L&PM, 2011, Porto Alegre).

Composto por artigos publicados em 1971 na revista Rolling Stone, o livro é narrado em primeira pessoa pelo alter ego do jornalista, Raoul Duke, que viaja a Las Vegas, na companhia de um amigo advogado, para cobrir uma corrida de motocrosss. Mas ele abandona a ideia e passa a fazer uma análise dos viciados em drogas e jogos que frequentam a cidade famosa pelos seus cassinos.

Adaptado para o cinema em 1998, medo e delírio em las vegas traz Johnny Deep no papel de Raoul Duke, e Benecio del Toro como advogado. A estética do filme acompanha as viagens de mescalina, maconha, cocaína, ácido, éter, álcool da dupla.  Selecionamos 10 gifs que mostram os momentos mais loucos do filme.

Quando eles dirigiam pelo deserto e as drogas começaram a bater, ele começou a ver morcegos

E ficou bem louco que viu o rosto do manobrista ficar deformado

O éter bateu tão forte que eles mal conseguiam andar

O advogado teve um ‘teto’ e achou que alguém tava tentando matá-lo, e Raoul tenta ajudá-lo

Quando ele cheirou durante a Convenção Nacional de Promotores sobre Narcóticos e Drogas Perigosas

O advogado jogou um balde em direção à porta do quarto do hotel porque alguém estava batendo

E no final o quarto ficou deste jeito, inundado e imundo.

E colocaram fogo na cama; e Raoul se transformou em um lagarto

 

Sem mais artigos