O público britânico entrou em parafuso ao ligar a TV no Channel 5 na noite de terça (31/03) e se deparar com Nanna Love: 50 Shades of Granny (algo como 50 Tons de Vovós), um documentário bastante peculiar.

O telefilme mostrava homens na faixa dos 20 e poucos anos, que revelavam sua preferência afetiva-sexual: namorar (e transar) com mulheres mais velhas. Beeem mais velhas.

Estamos falando sério: mulheres de 70, 75, 80, 90 anos, transando com garotos de 25, 30. Um deles garante: “”Minha busca mesmo é por granny pussy (vagina de vovó)”. A mais jovem namorada dele tinha 68 anos. E a mais velha, 92. O outro fã das idosas conta que teve um relacionamento com uma mulher de 77 anos, e que prefere mesmo as mais velhas.

O trailer do programa arrasa ainda mais, mostrando as animadas senhoras vestindo lingeries sexys, e até uma delas exibindo uma tatuagem no seio com a frase “Gangbang Queen” (Rainha do Gangbang):

Apesar da naturalidade com que o programa tratou o tema dos “amantes das avós” (como o próprio canal anunciou a atração), a reação do público inglês foi de choque.

A hashtag #50ShadesOfGranny foi trend topic naquela noite, e a maioria se mostrava chocada e até enojada com o tema mostrado. O que leva a uma pergunta polêmica: afinal, as idosas não têm direito de viverem uma vida sexual ativa após os 70 anos? Por que essa ideia causa repulsa?

Veja na galeria algumas das reações Twitteiras do povo que assistiu ao programa:

Sem mais artigos