O pesquisador de cinema Carlos Alberto Mattos, que escreveu um livro sobre a obra do cineasta Eduardo Coutinho, assassinado pelo próprio filho neste domingo (2), no Rio de Janeiro, aos 80 anos, disse que o diretor teve uma ‘inquitação premonitória’ três dias antes de sua morte. Em um post no seu blog, ele publicou ainda uma foto de um encontro entre ele, João Moreira Salles e outros colaboradores, quando gravava uma versão especial do filme Cabra Marcado Pra Morrer (1984) com comentários.

O DVD, produzido pelo Instituto Moreira Salles, será lançado em abril.

“Uma coisa, porém, intrigou a todos nós: a insistência em comentar o destino atual dos familiares de Elisabete Teixeira, a protagonista do Cabra”, disse Carlos. Elisabete é viúva de João Pedro Teixeira, líder camponês e tema do documentário do cineasta.

“Sobretudo, ele parecia obcecado em falar de uma tragédia que já estava contada num extra do DVD, gravado ano passado quando Coutinho voltou a Elisabete e seus parentes: um dos filhos dela havia assassinado um irmão e depois tinha sido eliminado, talvez como queima de arquivo.  Não sou dos que creem em percepção extrassensorial e quetais, mas como não ver ali uma inquietação premonitória?”, escreveu.

No texto, Carlos descreve Coutinho como “fisicamente fragilizado”, mas lúcido e com senso de humor preservados. Ele disse ainda que “pouquíssima gente conhece detalhes da sua vida familiar – e essa opacidade constante pode ter encoberto as raízes da tragédia que hoje abalou o Brasil”. O jornalista completa ainda que o cineasta era “especial” e que “a hora é de luto e consternação”.

Eduardo Coutinho foi assassinado neste domingo a facadas em sua residência no bairro da Lagoa, no Rio de Janeiro. Segundo a polícia o autor do crime é o filho do diretor, Daniel Coutinho, que sofreria de esquizofrenia. Daniel foi encontrado ferido com duas facadas no abdômen e a mulher do cineasta e mãe de Daniel, Maria das Dores de Oliveira Coutinho, levou duas facadas no tórax e três no abdômen, sendo que uma delas provocou lesões no fígado.

O filho do cineasta, segundo a Divisão de Homicídios, responsável pelo caso, golpeou os pais e depois tentou se matar. O quadro de saúde de Daniel, que está sob custódia na enfermaria do Hospital Municipal Miguel Couto, é estável, mas Maria das Dores se encontra em estado grave após passar por uma cirurgia delicada.

Coutinho é autor de documentários como Edifício Master, Cabra Marcado para Morrer, Babilônia 2000 e Jogo de Cena. O cineasta foi convidado em junho do ano passado a integrar a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos.

De acordo com colegas e amigos do diretor, como os diretores Cacá Diegues e José Padilha, Coutinho criou uma nova linguagem para os documentários. O cineasta tem entre seus prêmios um Kikito de Cristal, concedido em 2007 pelo Festival de Cinema de Gramado, o principal do país, pelo conjunto de sua obra.

Amigo publica última foto de Coutinho e diz que ele teve 'inquietação premonitória'

Sem mais artigos