O filme Django Livre, do diretor Quentin Tarantino, que foi retirado dos cinemas no dia da estreia na China, no mês passado, enfim começaram a ser exibidos no país asiático neste domingo.

O site mtime.com, dedicado ao cinema e ao entretenimento popular, calcula que o filme arrecadará em torno de US$ 10 milhões em sua passagem pelo território chinês.

Estão em cartaz no país neste fim de semana filmes ocidentais como a bilheteira Oblivion, de Tom Cruise, Homem de Ferro 3, do diretor americano Shane Black, e a animação The Croods. Também estreiam produções locais, como American Dreams in China, de Hong Kong.

As autoridades chinesas apontaram como motivo para a proibição da exibição de Django Livre o excesso de cenas de violência. No entanto, usuários da rede social Weibo denunciaram que a razão real seria um nu frontal presente na produção.

Todos os filmes exibidos na China são submetidos antes à avaliação do regime, que decide se eles podem ser exibidos completamente, se partes devem ser cortadas ou se devem ser proibidos, normalmente devido a cenas de sexo ou violência.

O último caso foi o caso de 007 – Operação Skyfall, que teve grande sucesso entre o público chinês. Na versão para o país, foi retirada uma cena em que James Bond mata um guarda de segurança em Xangai.

O filme de Tarantino já vem sendo vendido em DVD – sem censuras – na maioria das várias lojas do país, como garantem os usuários das redes sociais.

Sem mais artigos