Tony Revolori, que estreia no cinema em The Grand Budapest Hotel, novo filme de Wes Anderson, confessa que ficou um tanto apreensivo com a cena de beijo que teve de realizar com sua bela colega Saoirse Ronan. Em entrevista ao site Collider, ele contou que foi pedir conselhos a seu colega mais experiente Ralph Fiennes. A resposta que obteve foi hilária.

“Eu estava muito nervoso com a cena de beijo com Saoirse. Como você pode imaginar, eu fui procurá-lo e perguntei, ‘Então, o que você pensa? O que eu devo fazer? Eu estou meio nervoso’. Ele olhou para mim por um tempo e dissse, ‘Bom, você diz para ela, ‘Me desculpe se eu ficar excitado. E me desculpe se eu não ficar'”, contou.

“Eu não disse isso a ela, mas isso me fez rir. A forma que ele me disse isso foi incrível e isso era o que eu precisava. Eu precisava de alguém que fizesse piada disso, e eu me senti confortável daquele ponto em diante. Ele sabia exatamente o que deveria fazer”, explicou.

O ator diz que a cena acabou indo muito bem. “Nós estragamos nosso figurino umas quatro vezes. Nós ficamos selvagens. Wes falava, ‘Vai fundo’. Eu jogava o meu chapéu. Meu uniforme tem muitos botões. Ela o agarrava e rasgava os botões. Milena [Canonero], nossa chefe de figurino, ficava furiosa. Foi ótimos, nos divertimos muito. Ríamos em todos os takes. Foi lindo”.

The Grand Budapest Hotel acompanha a história de Gustave H (Ralph Fiennes), famoso administrador de um hotel luxuoso, e de seu fiel escudeiro Zero Moustafa (Tony Revolori), um carregador de malas. O filme estreia no Brasil no próximo dia 3 de abril.

Sem mais artigos