Acontece neste sábado (3) na capital dos Estados Unidos, Washington DC, a centésima edição do Correspondent’s Dinner, evento na Casa Branca que celebra a atuação dos jornalistas que cobrem política no país. Barack Obama é a estrela da noite, acompanhado de Joe McHale, da série de TV Community.

A televisão, por sinal, deu o tom da cerimônia. O presidente é fã de séries como House of Cards, Game of Thrones, Modern Family e Homeland – e estrelas destas e de outras atrações chegaram aos montes ao evento. Um vídeo mostrou Julia Louis-Dreyfus, que interpreta uma vice-presidente da ficção na série Veep, da HBO, invadindo a Casa Branca com Joe Biden, o vice-presidente da vida real, e trocando farpas com Michelle Obama. 

Assista: 

Durante seu discurso, Barack Obama tirou sarro das emissoras CNN e MSNBC. “Ainda sofro do jetlag da minha viagem para a Malásia”, disse o presidente. “O esforço que você tem que fazer para aparecer na CNN”, completou, arrancando risos da plateia. “Acho que eles ainda estão procurando a sua mesa aqui no jantar”, disparou, em referência à criticada cobertura do desaparecimento do avião da Malasia Airlines. “A MSNBC também está aqui. Eles nunca viram uma plateia tão grande na história do canal”, completou.

Obama, que é do Partido Democrata, também aproveitou o evento para criticar a Fox News, emissora que apoia o Partido Republicano. “Um americano ganhou, pela primeira vez em décadas, a maratona de Boston. Parece justo e equilibrado, já que um queniano é presidente dos EUA há seis”, ironizou. No último ano, reportagens da Fox especulavam se Obama, na verdade, teria nascido no país africano.

“Mas a Fox News vai sentir saudades de mim quando eu deixar a presidência. Vai ser muito mais difícil convencer a população de que a Hillary Clinton é queniana”, disse ainda, sob gargalhadas.

Ele ironizou ainda o escândalo de espionagem envolvendo a NSA, Agência Nacional de Segurança que foi acusada de grampear telefones de líderes mundiais como a presidente Dilma Rousseff e a premiê alemã Angela Merkel. “A maconha foi liberada no Colorado, o que considero um ótimo experimento social. Só espero que eles não fiquem paranóicos, achando que o governo está ouvindo todas as suas ligações”, brincou.

Veja as fotos na galeria de imagens.

Sem mais artigos