Emilly está próxima do prêmio

TV Globo/Reprodução Emilly

Emilly foi a grande campeã do Big Brother Brasil 17 e levou para casa R$ 1,5 milhão. Em entrevista após o fim do reality show, ela falou sobre Marcos, que foi expulso da casa por agredir a participante. A Polícia Civil chegou a ir até a casa colher depoimentos e um inquérito foi aberto para investigação.

Segundo o jornal Extra, Emilly afirmou que nem estava pensando em nada disso, apesar de mostrar surpresa por saber que Marcos e seus familiares estavam torcendo por Vivian. “A minha irmã (Mayla, também ex-BBB) falou: ‘não faça questão de falar com ele’. Se minha irmã falou, está certo. Talvez eu tenha fantasiado, talvez ele não seja a pessoa que achei que ele fosse. Bom, então está certo eu não pensar nele”, afirmou.

“Não queria unir a minha imagem com a de ninguém, só com a minha irmã. Não queria me relacionar, mas eu me apaixonei e me entreguei 100%. Fantasiei uma pessoa que ele não deve ser. Vou falar com ele, mas depois. Super imaginava um relacionamento fora da casa, mas não via a mesma determinação nele. Agora, só quero pensar na minha família, ajudar na educação do meu sobrinho, soltar as cinzas da minha mãe. Tem muita coisa boa para pensar e fazer”, finalizou.

Emilly teve 58% dos votos e falou que, no jogo, só pensou nela mesma. “Não ouvia ninguém, fiz as coisas que eu queria, só pensando em mim e nas pessoas que eu gosto. Não estava medindo os meus movimentos”, completou.

As 10 piores decisões do público na história do BBB

Qualquer vídeo de melhores momentos do BBB que você for buscar por aí, a Tina paneleira estará presente. Mesmo sendo puro entretenimento, a loira foi eliminada na segunda semana do BBB 2
O triângulo amoroso entre Siri, Fani e Alemão era a melhor coisa do BBB 7 e, de todos eles, o mais dispensável era  loiro, que acabou ganhando a 7ª edição. Mesmo com uma rivalidade divertidíssima entre Fani e Íris, no paredão do amor, que opôs Siri e Diego, a sister foi a eliminada.
Jaque Khury foi a PRIMEIRA eliminada do BBB 8. Dá pra acreditar? A edição que coroou o bom moço Rafinha (que está aonde hoje mesmo?) tirou a chance dessa celebridade de carreira estável de causar muito naquela casa.
Marcelo Dourado passou pelo BBB 4 do jeito mais óbvio: despercebido. No seu retorno, na 10ª edição, se caracterizou por comentários homofóbicos e machistas contra as mulheres e os homossexuais na casa, especialmente Dicésar. Mesmo assim, ganhou e com imenso apoio popular. Ok, né.
O preconceito falou mais alto e tirou Ariadna do BBB 11 na primeira. Declaradamente transgênero, a morena tinha potencial para ser uma boa participante, mas foi indicada logo no primeiro paredão e sofreu com a rejeição do público, que cansou de fazer piadas com sua opção de gênero.
O BBB sofreu muito por conta da paixão de seu público pelos caubóis. Fael foi mais um deles. Sem graça e com pouco a acrescentar na rotina da casa, o brother foi quietinho até a final, onde foi campeão com 92% (!) dos votos.
Uma das mais afetadas pelas decisões do público, a 15ª edição tinha participantes interessantes, mas o espectador, em sua maioria, gostava mais de ouvir as crônicas de Adrilles do que dos afrontes de Angélica, por exemplo, eliminada com 65% dos votos ainda na primeira metade do reality, quando estava começando a causar confrontos na casa.
Até hoje ninguém consegue explicar a vitória de Cezar Lima. Uma verdadeira planta no programa, o brother não conversava com ninguém, não brigava, não sorria, não fazia nada que justificasse o entretenimento. Mas, né, o público gostou.
A saga do sétimo voto tinha tudo para pegar fogo se Mayara voltasse do paredão, mas o público preferiu a falta de posicionamento de Vivian do que as promessas de barraco da sister. Aí ficou a chatice que ficou mesmo.
Elis era uma mulher irreverente, com claríssimos problemas de relacionamento e comportamento, além de ser absolutamente excêntrica e irônica. Ou seja, a participante ideal para um reality show desse tipo. Mesmo assim, em sua melhor fase, a morena foi eliminada pelo público com 80% dos votos em um PAREDÃO TRIPLO. Aí não dá, né?
Ficou bastante claro que Marcos passou de todos os limites morais quando, ao vivo em rede nacional, inventou que a polícia havia ido até os Estúdios Globo bater na porta do BBB 17, pois Ilmar estava devendo 3 meses de pensão. Além disso, o brother foi acusado de atitudes machistas durante todo o dia anterior e causou até a entrada de uma psicóloga na casa para acalmar os colegas de confinamento, que alegaram estarem com medo dele. Mesmo assim, Ilmar foi eliminado no paredão daquela semana, e Marcos ficou.
Marcos agrediu, intimidou e violentou Emilly psicologicamente. Deveria ter sido expulso, mas não foi. Ainda assim, nada justifica o público ter considerado essa atitude tão irrelevante a ponto de resolver tirar Marinalva com 77% dos votos.

'BBB 17': "talvez não seja a pessoa que achei que fosse", diz Emilly sobre Marcos

Sem mais artigos